app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5730
Economia

Infla��o para terceira idade acumula alta de 5,05% no ano

| Globo Online Rio de Janeiro Os preços da cesta de produtos e serviços consumidos pela população da terceira idade subiram com menos força em 2005 do que em 2004, informou a Fundação Getúlio Vargas (FGV). O Índice de Preços ao Consumidor da Terceira I

Por | Edição do dia 08/01/2006 - Matéria atualizada em 08/01/2006 às 00h00

| Globo Online Rio de Janeiro Os preços da cesta de produtos e serviços consumidos pela população da terceira idade subiram com menos força em 2005 do que em 2004, informou a Fundação Getúlio Vargas (FGV). O Índice de Preços ao Consumidor da Terceira Idade (IPC-3i) acumulou alta de 5,05% no ano passado, uma variação percentual abaixo da apurada em 2004 (6,58%). A inflação da terceira idade é medida com base na última Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF), de 2002 e 2003. A partir daí, a FGV construiu o perfil de consumo das famílias nas quais pelo menos metade dos componentes tem mais de 60 anos e renda mensal de até 33 salários-mínimos. De acordo com um comunicado da FGV, as maiores pressões para inflação dos idosos em 2005 vieram dos preços administrados pelo governo, que responderam por aproximadamente 37% da taxa acumulada no ano. Só o gasto com plano de saúde representou 0,68% da taxa geral. As taxas de luz, água e esgoto ficaram logo atrás. Por outro lado, as maiores influências negativas vieram dos preços dos alimentos: leite longa vida (-9,73%), limão (-42,6%), mamão papaia (-18,52 %), arroz branco (-16,74% e óleo de soja (-15,86%). Entre as sete classes de despesa, a de alimentos registrou a segunda menor taxa acumulada em 2005 ( 3,11%). A menor taxa veio do grupo vestuário (2,14%). A maior, de transportes (8,24%). No quarto trimestre, a maior taxa de variação do IPC-3i ocorreu em novembro. A taxa subiu de 0,37%, em outubro, para 0,65%, em novembro. Nesta ocasião, o item hortaliças e legumes apresentou variação de 13,52%, respondendo por aproximadamente 60% da variação total do índice. Apesar de outubro ter registrado a menor taxa do período em questão, sua variação foi 0,32 ponto percentual (p.p.) superior à de setembro, ocasião em que a taxa foi de 0,05%. Os responsáveis pelo avanço do índice foram preços administrados, entre os quais se destacam: tarifa elétrica residencial (0,85%), gasolina (3,63%) e tarifa de ônibus urbano (1,47%). Já em dezembro, o IPC-3i apresentou desaceleração de 0,14 ponto percentual, passando sua taxa para 0,51%. A redução na taxa de variação deveu-se essencialmente à pressão menos intensa de alimentos in natura. De novembro para dezembro, a contribuição conjunta dos itens tomate e batata-inglesa, que apresentaram franca aceleração no início do quarto trimestre, caiu de 0,31 para 0,13 ponto percentual. APOSENTADOS DA RECEITA Cerca de 10 mil aposentados e pensionistas da Receita Federal têm direito a receber a diferença de 20% da Gratificação de Incremento da Fiscalização e da Arrecadação (Gifa), entre 2000 e 2002, que só foi paga integralmente aos ativos. De acordo com o diretor de Assuntos de Aposentadoria do Unafisco-RJ, Lenilson Moraes, ao procrastinar na Justiça, para levar mais dois anos para pagar, o governo está desrespeitando também o Estatuto do Idoso.

Mais matérias
desta edição