app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5731
Economia

Governo afirma que pre�o do �lcool cai

| Folha Online São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília O Ministério da Agricultura divulgou, ontem, nota em que afirmou que o preço do álcool hidratado deverá sofrer queda devido ao acordo fechado com os usineiros na última quarta-feira. A avaliação, feita

Por | Edição do dia 14/01/2006 - Matéria atualizada em 14/01/2006 às 00h00

| Folha Online São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília O Ministério da Agricultura divulgou, ontem, nota em que afirmou que o preço do álcool hidratado deverá sofrer queda devido ao acordo fechado com os usineiros na última quarta-feira. A avaliação, feita também por usineiros, ganhou até mesmo o apoio dos donos de postos, que horas antes afirmavam que o acordo teria um efeito contrário e pressionaria os preços do produto na bomba. A polêmica sobre a eficácia do acordo foi desatada pelo Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado de São Paulo (Sincopetro), para quem o governo teria estabelecido um teto de R$ 1,05 por litro de álcool carburante (anidro e hidratado). Dessa forma, o Sincopetro entendeu que o acordo reduziria o preço do litro de álcool anidro de R$ 1,08 para R$ 1,05, mas aumentaria o do hidratado de R$ 1,03 para R$ 1,05. Com impostos, o impacto para o consumidor do álcool hidratado poderia chegar a R$ 0,05 por litro, pelos cálculos do Sincopetro. No final da tarde de ontem, no entanto, o Sincopetro afirmou que o governo não explicou o acordo corretamente. O sindicato, agora, também afirma que haverá queda nos preços. ### Distribuidores vão discutir margem de lucro nas vendas FOLHA ONLINE São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília Antes do recuo do Sincopetro, o presidente da União da Agroindústria Canavieira de São Paulo (Unica), Eduardo de Carvalho, havia enviado correspondência ao Palácio do Planalto em que reiterava a disposição dos usineiros de reduzir o preço do álcool anidro (adicionado à gasolina) de R$ 1,08 para R$ 1,05. Segundo a assessoria de imprensa da Unica, na correspondência ele também lembrou que historicamente o preço do álcool hidratado é inferior ao anidro por ter a adição de 6% a 8% de água. “Assim sendo, o preço do álcool carburante hidratado deverá estar abaixo daquele teto [R$ 1,05]”, afirmou. Já o Ministério da Agricultura citou levantamentos semanais da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq-USP) para afirmar que “a cotação do litro do álcool hidratado tem um deságio entre 5% e 15% em relação ao do anidro”. “Hoje, o preço razoável do litro do álcool hidratado, que tem um percentual de 6% a 8% de água, deve oscilar entre R$ 0,95 e R$ 1”, disse o diretor do Departamento de Cana-de-Açúcar e Agroenergia, Ângelo Bressan. “Esperamos que o mercado mantenha a mesma relação histórica de preços”, completou. Bressan informou ainda que os representantes dos ministérios da Agricultura e de Minas e Energia vão se reunir na próxima semana com o setor de distribuição e revenda de combustíveis para debater as margens de lucro na comercialização de álcool. A estatal BR Distribuidora, que detém 37% do mercado de distribuição de combustíveis, poderá ser acionada para garantir o repasse integral de eventuais reduções de preço do álcool na usina. Mesmo sem uma intervenção direta na distribuição do produto, os preços da Petrobras deverão servir como uma referência para o mercado, forçando uma queda.

Mais matérias
desta edição