app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5729
Economia

Preven��o � gripe avi�ria ter� R$ 100 mi

| Fernando Itokazu Folhapress Brasília - O plano de prevenção à gripe aviária consumirá R$ 100 milhões do Ministério da Agricultura e só deve vigorar em março. Os recursos serão aplicados no reaparelhamento da rede laboratorial, na criação de barreiras

Por | Edição do dia 15/01/2006 - Matéria atualizada em 15/01/2006 às 00h00

| Fernando Itokazu Folhapress Brasília - O plano de prevenção à gripe aviária consumirá R$ 100 milhões do Ministério da Agricultura e só deve vigorar em março. Os recursos serão aplicados no reaparelhamento da rede laboratorial, na criação de barreiras sanitárias, na capacitação de técnicos e em medidas de caráter educativo. O governo havia prometido divulgar o plano em 15 de dezembro, e o ministro Roberto Rodrigues (Agricultura) chegou a levantar a possibilidade de antecipá-lo para o dia 1º para aproveitar uma conferência internacional sobre a doença em Brasília. As medidas entrariam em vigor neste mês. Mas o ministério alegou problemas jurídicos para adiar o lançamento. “O atraso não é bem-vindo, pois estávamos ansiosos. Mas vamos ser otimistas”, disse o presidente da Associação Brasileira de Exportadores de Frango (Abef), Ricardo Gonçalves, após a reunião entre técnicos do ministério e representantes de produtores de frango na qual foi redigido o texto do plano. TRÂNSITO SUSPENSO A ansiedade era tamanha que grandes produtores se anteciparam ao governo e desde novembro suspenderam o trânsito de animais entre Estados. A proibição do trânsito de aves de abate e de descarte é uma das principais medidas do plano. Com isso, evitam-se grandes perdas no caso de a gripe aviária chegar ao País. Os prejuízos ficariam limitados ao Estado afetado. Maior exportador de frango, o Brasil abate 370 milhões de cabeças por mês - 30% dessa produção é destinada ao exterior. O prazo de fechamento das fronteiras não será o mesmo para todas as unidades da Federação. Os Estados do Sul mais MG e SP terão três meses para se adequarem. GO, DF, MS, MT, ES e BA, seis meses. E os demais, um ano. As sanções por descumprimento serão definidas pelos Estados. SATÉLITE O plano também prevê maior controle, com cadastramento de granjas, que serão monitoradas por satélite, e o levantamento soroepidemiológico dos animais. O texto aprovado segue para o departamento jurídico do ministério e deve ser colocado em consulta pública no final do mês. Apesar de considerarem que o controle sanitário da avicultura brasileira é eficiente, o governo e o setor privado avaliaram que é preciso reforçar esse controle diante da evolução da doença no mundo.

Mais matérias
desta edição