app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5728
Economia

Brasil pode ser maior exportador de soja

| Fernando Itokazu Folhapress Brasília - O Brasil vai superar os EUA e se tornar o maior exportador de soja até o próximo ano, segundo projeção da assessoria de gestão estratégica do Ministério da Agricultura. A soja é o carro-chefe da balança do agro

Por | Edição do dia 05/02/2006 - Matéria atualizada em 05/02/2006 às 00h00

| Fernando Itokazu Folhapress Brasília - O Brasil vai superar os EUA e se tornar o maior exportador de soja até o próximo ano, segundo projeção da assessoria de gestão estratégica do Ministério da Agricultura. A soja é o carro-chefe da balança do agronegócio brasileiro e em 2004/5 registrou exportação de 20,5 milhões de toneladas, enquanto os EUA venderam 27,4 milhões de toneladas. O Brasil deve exportar 23 milhões de toneladas de soja da safra de 2006/07, superando o volume exportado dos americanos, que deve ficar em 22,5 milhões. Maiores produtores de soja desde 1964, os EUA poderiam ser ultrapassados pelo Brasil em 2014/5. Antes da seca que atingiu principalmente o Sul do país em 2005, a estimativa era que o Brasil fechasse a safra de 2014/15 com 95 milhões de toneladas. Com a estiagem, a projeção foi refeita para 83,9 milhões. A produção dos EUA é estimada em 87,6 milhões. “A maior participação do Brasil no mercado pode ser explicada pela falta de novas áreas para a expansão dos Estados Unidos, enquanto o Brasil ainda tem terras abundantes e baratas”, disse o chefe da assessoria de gestão estratégica, Elísio Contini. “Além disso, a demanda por soja é crescente e o consumo dos americanos é muito maior que o nosso.” O estudo do Ministério da Agricultura avalia que a dinâmica do agronegócio brasileiro está vinculada à exportação e cita outros produtos com mercados potenciais: carnes, açúcar e álcool. As projeções do setor de carne no Brasil mostram que a produção da bovina deve apresentar crescimento de 4,4% ao ano até 2014/5, e a de frango, 4,5%. Enquanto a expansão projetada da suína é de 2,6% ao ano. A taxa média anual de crescimento da produção de açúcar é ainda maior do que a de carnes e chega a 6,5%. Maior exportador do produto, as vendas do Brasil devem passar dos 18,1 milhões de toneladas atuais para 21,9 milhões em 2014/5 ou 56% do comércio internacional. Outro produto derivado da cana, o etanol também apresenta projeções otimistas no estudo do ministério. A produção do combustível projetada para 2015 é de 36,8 bilhões de litros, mais do que o dobro da de 2005 (16,2 bilhões). Com a expectativa de grande avanço dos carros bicombustíveis (venda de 1 milhão desse tipo de automóvel contra 467 mil de carros a gasolina em 2010), a projeção é que o consumo interno em 2015 chegue a 28,4 bilhões de litros contra 13,5 bilhões em 2005.

Mais matérias
desta edição