app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5735
Economia

Japoneses querem financiar TV digital

| PATRÍCIA ZIMMERMANN Folha Online Brasília - Os japoneses estão dispostos a financiar toda a infra-estrutura para a implantação da TV digital no Brasil, segundo informou na última quinta-feira o embaixador do Japão no Brasil, Takahiko Horimura. Após

Por | Edição do dia 05/02/2006 - Matéria atualizada em 05/02/2006 às 00h00

| PATRÍCIA ZIMMERMANN Folha Online Brasília - Os japoneses estão dispostos a financiar toda a infra-estrutura para a implantação da TV digital no Brasil, segundo informou na última quinta-feira o embaixador do Japão no Brasil, Takahiko Horimura. Após reunião com o comitê de ministros responsável pelas negociações da TV digital ele não soube dizer quanto exatamente o banco japonês, o Jbic, estaria disposto a investir no Brasil, caso o padrão ISDB seja o escolhido. Entretanto, ele disse que o banco atenderá toda a demanda da indústria brasileira, inclusive a de radiodifusão, que deverá fazer os maiores investimentos para possibilitar as transmissões digitais. Os europeus, que estiveram semana passada no Planalto, ofereceram até 400 milhões de euros para esse tipo de financiamento. O representante da Arib (associação que reúne indústria e radiodifusores no Japão), Noriyuki Shigeta, apontou entre uma das principais vantagens do padrão japonês a flexibilidade do sistema, o que possibilitaria a sua adaptação às características do país, coma incorporação de tecnologias locais. Os japoneses também formalizaram na quinta-feira a oferta de isenção total de royalties, o que vai facilitar a produção de set top box (conversor) no Brasil. No caso da tecnologia brasileira que for incorporada ao sistema japonês, ficará a cargo do governo e dos fabricantes locais cobrar ou não os royalties. Segundo ele, apesar de não haver espaço para esse tipo de equipamento no mercado japonês, que adquiriu em dois anos 8,5 milhões de televisores, o conversor produzido no Brasil poderá ser vendido para outros mercados, como o europeu e o americano. Ele explicou que o equipamento conversor é praticamente o mesmo para todos os sistemas, e que apenas 10% correspondem ao padrão tecnológico. Após a reunião com os japoneses, o ministro das Comunicações, Hélio Costa, se disse ‘muito satisfeito’ com as propostas. ‘Todas as respostas foram muito positivas’, disse. Além dos royalties e do financiamento, o ministro destacou a possibilidade de incorporação das inovações brasileiras no sistema japonês e a participação de representantes brasileiros no fórum que decide a evolução da tecnologia. ### Escolha de padrão de TV pode ter atraso Folha Online Brasília O ministro Hélio Costa (Comunicações) admitiu na semana passada que a decisão sobre a TV digital pode demorar um pouco mais do que o esperado. Ele acredita, entretanto, que o padrão será definido pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva até o final do mês. O prazo estabelecido pelo próprio ministro, o dia 10 de fevereiro, é data-limite para que os relatórios técnicos das pesquisas sejam entregues ao presidente. Com esses documentos em mãos, o ministro acredita que Lula terá todos os elementos necessários para tomar a decisão. “Se ele [Lula] levar um mês, está em tempo. Eu acho que só não pode passar muito de fevereiro porque senão você não tem prazo para poder colocar a TV digital em funcionamento [nas datas previstas]”, disse. O ministro espera fazer testes da TV digital em junho, durante a Copa da Alemanha de futebol, e iniciar a operação oficialmente em 7 de setembro, feriado de Dia da Independência. Testes Os representantes do padrão europeu para a TV digital terão que fazer testes em São Paulo para comprovar a qualidade do seu sistema e a capacidade de transmissão em uma região com obstáculos técnicos (congestionamento do espectro) e físicos (grande concentração de edifícios e também de relevo). A exigência foi feita pelo governo brasileiro. Mas para comprovar sua capacidade técnica, os europeus terão que apresentar os resultados de testes que comprovem a qualidade da imagem nas condições de São Paulo rapidamente, já que o governo pretende decidir o sistema de modulação que será adotado para a TV digital até o fianl de fevereiro. Os japoneses e os americanos fizeram testes em São Paulo. Já os europeus testaram a tecnologia em Brasília, que é um ambiente plano, o que não seria o ideal para os testes.

Mais matérias
desta edição