app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5730
Economia

Suco brasileiro � tributado em 60%

| Folhapress São Paulo O suco de laranja brasileiro será taxado em até 60,29% no mercado norte-americano. Foi o que decidiu ontem a International Trade Comission, órgão dos Estados Unidos que interpretou que as exportações de suco do Brasil são uma ame

Por | Edição do dia 09/02/2006 - Matéria atualizada em 09/02/2006 às 00h00

| Folhapress São Paulo O suco de laranja brasileiro será taxado em até 60,29% no mercado norte-americano. Foi o que decidiu ontem a International Trade Comission, órgão dos Estados Unidos que interpretou que as exportações de suco do Brasil são uma ameaça real aos produtores norte-americanos. A votação entre os seis participantes da comissão ficou empatada. As normas internas da comissão determinam, no entanto, que, em caso de empate, a decisão é contra o réu -nesse caso, os exportadores brasileiros. As taxas são variadas e afetam as empresas brasileiras exportadoras de forma diferenciada. A Montecitrus recebeu taxa de 60,29%; a Cutrale, de 19%; a Citrosuco, de 9%; e a Dreyfus, de 15,4%. A Citrovita, que consta de outro processo, não teve taxação. A decisão afeta todo o setor -do produtor brasileiro, que deve receber menos, ao consumidor norte-americano, que vai pagar mais, segundo Ademerval Garcia, presidente da Associação Brasileira dos Exportadores de Cítricos (Abecitrus). No fundo, a taxação “é um tiro no pé” para o próprio mercado norte-americano, diz Garcia. Os preços maiores do suco vão levar os consumidores a produtos alternativos, diminuindo o consumo interno nos Estados Unidos, que é praticamente abastecido pelos produtores da Flórida. A decisão dos norte-americanos vai afetar o mercado brasileiro. Segundo Ademerval Garcia, desde que essas taxas estavam sendo praticadas, mas ainda sem uma decisão definitiva, as exportações brasileiras para o mercado norte-americano caíram 11%.

Mais matérias
desta edição