app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5717
Economia

F�rum discute propostas para o setor energ�tico

Para discutir questões relacionadas ao uso inteligente do potencial energético do Brasil, o Núcleo de Eficiência Energética da Indústria (NEEI), composto pelo Sebrae, FIEA, Ufal e Secretaria de Planejamento do Estado, está promovendo o I Fórum Alagoano de

Por | Edição do dia 18/05/2002 - Matéria atualizada em 18/05/2002 às 00h00

Para discutir questões relacionadas ao uso inteligente do potencial energético do Brasil, o Núcleo de Eficiência Energética da Indústria (NEEI), composto pelo Sebrae, FIEA, Ufal e Secretaria de Planejamento do Estado, está promovendo o I Fórum Alagoano de Eficiência e Desenvolvimento Energético eSustentável. O evento está acontecendo desde o último dia 02 e vai estender-se até o dia 26 de junho, através de uma reunião semanal a cada quarta-feira, no auditório da Casa da Indústria. Representantes da Companhia Energética de Alagoas(Ceal), Cooperativa Regional dos Produtores de Açúcar e Álcool do Estado de Alagoas e Associação dos Profissionais de Eletroeletrônica do Estado deAlagoas (Aprel) já apresentaram suas propostas. A próxima reunião vai ser no dia 29, às 9h, e terá, por sua vez, a apresentação da Secretaria de Infra-estrutura do Estado de Alagoas. O objetivo do evento é fazer uma exposição sobre a questão em níveis local e nacional e propor alternativas que possam solucionar os problemas apresentados. Sugestão Uma das principais propostas do Fórum é a sugestão da implantação de uma estrutura organizacional permanente em Alagoas para estudar novas tecnologias energéticas (como a eólica, solar, etc.) e torná-las viáveis financeiramente. Pretende, também, sensibilizar os atuais e futurosrepresentantes governamentais sobre a definição de uma política energética sustentável. O aumento da tarifa de energia elétrica para o consumidor final também vem sendo questionado por especialistas e consumidores. Segundo dadosdo Sebrae, dentre as vantagens do uso eficiente da energia destaca-se a possibilidade de redução R$ 5,7 bilhões das despesas anuais com energia das micro e pequenas empresas.

Mais matérias
desta edição