app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5731
Economia

Ceal � obrigada a investir para impedir colapso

| Lelo Macena Repórter O presidente da Companhia Energética de Alagoas (Ceal), Joaquim Brito, reconheceu, na quinta-feira pela manhã, durante a apresentação da nova frota de veículos da empresa, que a subestação de Cruz das Almas, responsável pelo abast

Por | Edição do dia 19/02/2006 - Matéria atualizada em 19/02/2006 às 00h00

| Lelo Macena Repórter O presidente da Companhia Energética de Alagoas (Ceal), Joaquim Brito, reconheceu, na quinta-feira pela manhã, durante a apresentação da nova frota de veículos da empresa, que a subestação de Cruz das Almas, responsável pelo abastecimento de energia de grande parte dos bairros da parte baixa da cidade e do litoral norte de Maceió, está operando no limite e já não está dando conta da demanda provocada pelos novos empreendimentos comerciais da região, a exemplo de supermercados e de outros negócios que estão se instalando nos arredores do Shopping Iguatemi. O fato preocupa a Ceal, que já está tomando providências urgentes para evitar um possível colapso no abastecimento. “Nós autorizamos a ampliação da subestação do Benedito Bentes, que vai folgar a utilização das subestações de Cruz das Almas e de Pajuçara. É preciso tomar essas medidas, pois estamos vivendo um período de grande crescimento do consumo de energia, por conta de investimentos naquela região” disse Brito. A subestação de Cruz das Almas já chegou a operar, no final do ano passado, com 95% de sua capacidade, quando o nível aceitável seria o de 70%. ### Maceió deve ter três novas subestações De acordo com Joaquim Brito, o prazo para a ampliação da subestação do Benedito Bentes é de três meses, período considerado longo, visto que alguns empreendimentos comerciais começariam a funcionar já a partir do próximo mês, como é o caso do Hiper Bompreço, ao lado do Shopping Iguatemi, cujas obras estão quase concluídas. As obras de ampliação da subestação do Benedito Bentes devem custar cerca de R$ 2 milhões, montante conseguido por meio de financiamento da Eletrobrás. A informação é do diretor de operações da Ceal, Joaquim Beltrão. Ao contrário de Joaquim Brito, ele descarta a sobrecarga e os problemas da subestação de Cruz das Almas, mas admite que é preciso se precaver antes que a demanda aumente ainda mais. Segundo ele, a ampliação deve favorecer também a região do Aldebaran, local onde se registra atualmente um alto nível de consumo. As providências para garantir o perfeito abastecimento energético em Maceió não param por aí. Conforme a Gazeta apurou, a Eletrobrás já teria autorizado, em caráter de urgência, a construção de três novas subestações elétricas, que ficariam estrategicamente localizadas no Stella Maris, no Centro e na Serraria. A medida também desafogaria as subestações do Pinheiro e do Tabuleiro, outra preocupação da Ceal. “Já realizamos alguns sobrevôos e identificamos os possíveis locais onde deveremos instalar essas subestações”, informa Mateus Lucena, superintendente de operação de transmissão da Ceal. Só que, segundo ele, o processo de construção dessas subestações deve demorar. “Ainda estamos preparando o projeto de pedido de financiamento junto à Eletrobrás. Possivelmente, daqui a três meses é que começaremos a fazer a licitação para as construções das obras”, disse.

Mais matérias
desta edição