app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5735
Economia

Novo pre�o dos combust�veis sai hoje

| Bleine Oliveira Com Folha Online Os consumidores alagoanos se assustaram com as notícias sobre um novo reajuste nos preços dos combustíveis, previsto para hoje. O aumento foi anunciado pelas distribuidoras do País (BR, Esso, Shell e Ipiranga), confir

Por | Edição do dia 02/03/2006 - Matéria atualizada em 02/03/2006 às 00h00

| Bleine Oliveira Com Folha Online Os consumidores alagoanos se assustaram com as notícias sobre um novo reajuste nos preços dos combustíveis, previsto para hoje. O aumento foi anunciado pelas distribuidoras do País (BR, Esso, Shell e Ipiranga), confirmando que gasolina e álcool terão seus preços majorados. Em Maceió, gerentes e proprietários de postos desconheciam oficialmente o reajuste, e qual seria o percentual. Por isso, preferiram não comentar a informação. Ontem, eles ainda aguardavam informações do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados do Petróleo (Sindcombustíveis). O presidente do Sindcombustíveis, Mário Jorge Uchôa, informou à Gazeta que hoje o sindicato vai repassar o percentual do reajuste para os postos de Alagoas. As informações de agências nacionais de notícias indicavam que o reajuste nos preços seria o mesmo cobrado pelas distribuidoras. Se forem mantidos os preços recomendados pela Agência Nacional de Petróleo (ANP), o preço médio da gasolina nas bombas subiria de R$ 2,75 para R$ 2,81. “É uma surpresa desagradável” - diz Sebastião Cavalcante, gerente de uma fábrica de móveis, no Tabuleiro. Para ele, o preço dos combustíveis em Maceió é um dos mais altos do País. Álcool No dia em que o percentual de álcool anidro na gasolina mudou de 25% para 20% com o objetivo de frear a escalada dos preços, os postos aproveitaram para reajustar os combustíveis. O paulistano já paga até R$ 1,999 para abastecer com álcool e até R$ 2,69 pelo litro de gasolina, segundo levantamento de preços feito pela Folha Online em 20 postos de São Paulo. Entre os postos da zonas central, oeste e norte da capital incluídos na pesquisa, 17 já tinham aumentado o preço da gasolina e 18 o preço do álcool. O posto Rip, localizado no centro, aumentou o preço do álcool hidratado de R$ 1,799 para R$ 1,999 por litro entre a última sexta-feira e ontem, o que representa uma alta de 11,12%. Trata-se do maior preço encontrado pela Folha Online nesses 20 postos. Já maior alta foi encontrada no Auto Posto Marini. O preço do álcool nesse estabelecimento subiu R$ 0,25, de R$ 1,499 para R$ 1,749. A gasolina mais cara foi encontrada pela Folha Online nos postos Baronesa (Higienópolis) e Veiga Filho, onde o preço do litro subiu R$ 0,10 e alcançou R$ 2,699. A maior alta, de R$ 0,159, no entanto, foi encontrada no Posto de Serviços Pátio Higienópolis (Higienópolis), onde esse combustível subiu de R$ 2,49 para R$ 2,649. Desde o fim de semana passado, o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Derivado de Petróleo do Estado de São Paulo (Sincopetro), José Alberto Paiva Gouvêia, previa uma alta média de R$ 0,20 para o litro do álcool e de R$ 0,09 para a gasolina a partir de ontem. A alta aconteceu devido à disparada do preço do álcool nas usinas. Segundo o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea-USP), o preço do anidro passou de R$ 1,07279 para R$ 1,14934 (sem impostos) na semana passada. Já o hidratado foi comercializado a R$ 1,15300, depois de ser vendido a R$ 1,07213 na semana retrasada. Além disso, a redução da mistura de álcool anidro na gasolina de 25% para 20% da mistura também contribuiu para encarecer a gasolina. “Não temos como segurar nada. Se o preço da gasolina ainda não subiu, em alguns postos deve aumentar ao longo da semana”, afirmou Gouvêia.

Mais matérias
desta edição