app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5731
Economia

T�rmicas devem ser destaque em leil�o

Pedro Soares Patrícia Zimmermann Folhapress Rio de Janeiro e Brasília - O primeiro leilão de energia deste ano, marcado para o próximo dia 12 de junho, deverá comercializar basicamente energia térmica, segundo expectativa da Empresa de Pesquisa Energé

Por | Edição do dia 14/03/2006 - Matéria atualizada em 14/03/2006 às 00h00

Pedro Soares Patrícia Zimmermann Folhapress Rio de Janeiro e Brasília - O primeiro leilão de energia deste ano, marcado para o próximo dia 12 de junho, deverá comercializar basicamente energia térmica, segundo expectativa da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), estatal responsável pelo planejamento do setor elétrico. Apesar de as hidrelétricas não estarem impedidas de participar, a EPE considera que não haveria prazo suficiente para que uma usina de grande porte seja construída e entre em operação, já que os contratos são para fornecimento de energia a partir de janeiro de 2009. Entretanto, a EPE prevê a realização de outros dois leilões de energia nova para o segundo semestre deste ano, com a previsão e fornecimento de energia a partir de 2011, quando as usinas hidrelétricas terão maior participação. Segundo o presidente da estatal, Maurício Tolmasquim, um desses leilões seria dedicado exclusivamente ao complexo hidrelétrico do Rio Madeira, que poderá até mesmo ser licitado em duas etapas, mas que deverá ficar para o segundo semestre. A primeira provavelmente será a usina de Santo Antonio, com capacidade de geração de 3.350 MW. Em outro leilão, seriam ofertados os aproveitamentos hidrelétricos que não foram arrematados no leilão do ano passado, entre elas, Dardanelos (261 MW), Mauá (369,9 MW), Cambuci (50 MW) e Barra do Pomba (80 MW), além das ‘botox’ de Estreito (1.087 MW), Serra do Facão (210 MW) e Foz do Chapecó (855 MW). Serão ofertados no leilão de junho o equivalente a 4,5% da demanda prevista pelas distribuidoras, ou 1.800 MW médios, quantidade de energia que não foi vendida em dezembro passado. Para definir os projetos que serão ofertados, a EPE ainda aguarda informações das distribuidoras sobre a demanda de energia, o que deverá ser apresentado até o dia 13 de abril. Os empreendedores terão até 10 de abril para manifestarem a intenção de colocar um projeto no leilão. Somente os empreendimentos com licença ambiental obtida até 20 dias antes do dia 12 serão mantidos no leilão.

Mais matérias
desta edição