app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5656
Economia

Vendas de veículos crescem 18% em Alagoas em 2023, aponta levantamento

Segundo os dados da Fenabrave, no ano passado foram emplacados 56.236 veículos no estado

Por Hebert Borges | Edição do dia 05/01/2024 - Matéria atualizada em 05/01/2024 às 04h00

As vendas de veículos novos cresceram 18,15% em Alagoas no ano passado ante 2022, de acordo com balanço da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave). O aumento aferido em Alagoas ficou acima do nacional, que fechou o ano com avanço de 12%.

Ao todo, foram emplacados 56.236 veículos no estado no ano passado, contra 47.599 em 2022, o que dá 8.637 veículos a mais. O segmento com maior alta registrada em Alagoas foi o de motocicletas, que vendeu 25,24% a mais que em 2022. Foram comercializadas 34.793 unidades no ano. Em segundo lugar aparecem os veículos comerciais leves, com alta de 24,31%.

Caminhões e ônibus são os segmentos que mais tiveram quedas nas vendas em Alagoas no ano passado. Os caminhões venderam 49,8% a menos e os ônibus tiveram 41,4% de queda nas vendas.

Os automóveis chamados popularmente de “carro de passeio” tiveram aumento de 11,3% nas vendas anuais no estado, com 15.119 unidades vendidas. Em dezembro as vendas caíram 10,6% na comparação com dezembro de 2022 e 11,5% na comparação com novembro.

Em todo o Brasil, no ano passado, foram emplacadas 4.108.041 unidades contra 3.667.325 de 2022. Quase todos os segmentos fecharam o ano com alta: automóveis (9,13%) comerciais leves (20,44%), ônibus (12,63%) e motos (16,10%). Apenas o setor de caminhões terminou o ano com baixa: -16,39%.

Em dezembro, o total de veículos vendidos nas concessionárias foi de 400.020 unidades, o que representa expansão de 10,74% ante novembro (361.222 unidades) e 9,03% na comparação com dezembro do ano anterior (117.909 unidades).

Segundo o presidente da Fenabrave, Andretta Júnior, 2023 representa um ano de recuperação para o setor automotivo e foi o primeiro ano desde 2019 em que foram emplacados mais de dois milhões de automóveis e comerciais leves. “Temos que lembrar o impulso das medidas provisórias que estimularam o setor e que mostram que é necessário buscar soluções permanentes que mantenham o mercado aquecido”, disse.

Andretta Júnior ressaltou que, além das medidas provisórias com estímulos fiscais, a melhoria do crédito por conta da queda da taxa de juros foi fundamental para a elevação de 12%.

“A disponibilidade e o custo do crédito têm muita influência na decisão de compra pelos consumidores. Com a queda da inadimplência houve maior disponibilização de crédito pelas instituições financeiras e isso foi percebido pelo mercado”, afirmou.

Para a Fenabrave, as vendas globais de veículos devem aumentar 13,54% em 2024, o que totaliza 4.518.871 unidades emplacadas. Para os automóveis e comerciais leves a estimativa é a de aumento de 12%, totalizando 2.440.887 unidades.

A venda de caminhões deve crescer 10%, com 114.571 unidades emplacadas e o segmento de ônibus deve alcançar as 29.546 unidades vendidas, um aumento de 20%. Os implementos rodoviários podem crescer 10%, com 99.296 unidades vendidas. A estimativa para as motocicletas é a de 1.834.571 de unidades comercializadas, o que corresponde a um incremento de 16%.

Mais matérias
desta edição