app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5647
Economia

Calor faz vendas de ar-condicionado aumentarem na capital alagoana

Fábricas não estão conseguindo suprir a demanda e lojas ficam sem poder atender pedidos de clientes

Por ROGÉRIO COSTA | Edição do dia 05/01/2024 - Matéria atualizada em 05/01/2024 às 04h00

As vendas de aparelhos de ar condicionado tiveram um aumento considerável em Alagoas no ano passado e a procura continua alta nos primeiros dias de 2024. As ondas de calor registradas nos últimos meses, com a chegada do verão, acabaram desencadeando uma busca cada vez maior por aparelhos de ar condicionado, ventiladores e climatizadores. Por isso, as lojas não estão conseguindo atender aos pedidos dos consumidores.

A chegada de dias mais quentes em virtude do verão e com uma demanda crescente acabaram gerando uma falta quase generalizada dos equipamentos no comércio.

“As lojas já estão sem estoque diante da procura pelos clientes”, diz o vendedor Gustavo Henrique. “Por conta do calor, a busca por aparelhos é intensa desde o final do ano passado. Por dia, vendemos entre 15 a 20 máquinas, mesmo com o reajuste em torno de 10% nos preços dos equipamentos”, conta.

O gerente Marcos Souza afirmou que, nesse momento, o lote mais recente, com 30 unidades, foi todo vendido. “Acabou tudo, não temos mais estoque por hora. Ontem vendemos as últimas unidades restantes. A informação dos fornecedores é para a chegada de umas 30 unidades na próxima semana e isso é muito pouco diante da procura pelos clientes”, lamenta.

A dona da casa Maria de Fátima Cardoso, que mora em Rio Largo, Região Metropolitana de Maceió, confessa que já percorreu diversas lojas da capital em busca de um ar-condicionado e não encontrou. Ela admite que, se comprar pela internet, teria que arcar com os custos do frete e ainda aguardar a chegada do equipamento.

“O forte calor justifica um equipamento novinho, por isso, desde o último fim de semana tenho percorrido as lojas para comprar um, já que o meu deu defeito e tem mais de cinco anos de uso”, reclama.

Em todo o país, as vendas de aparelhos de refrigeração tiveram uma alta de quase 40% no ano passado. O dado é da Associação Brasileira de Refrigeração, Ar-Condicionado, Ventilação e Aquecimento (Abrava).

Segundo Toríbio Rolon, presidente do departamento de comércio e distribuição da entidade, o ano de 2023 fechou com vendas perto dos 4 milhões de aparelhos, o que confirma a recuperação do setor na comparação com 2022, quando as vendas foram impactadas pelos altos juros cobrados e pela situação de inadimplência de muitos compradores.

Já um levantamento da Confederação Nacional do Comércio (CNC) mostra que as buscas nos sites por ar-condicionado aumentaram 177% em novembro. Segundo a pesquisa, o item foi disparado o que mais registrou crescimento nas pesquisas feitas pelos consumidores interessados em comprar. Desde as promoções dentro da última Black Friday, os lojistas aproveitaram para elevar o preço do produto, diante da forte procura. Segundo a CNC, a média de preço do ar-condicionado na internet aumentou em 3,0%.

Mais matérias
desta edição