app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5647
Economia

Preço do etanol recua 1,5% em AL na primeira quinzena do ano

O litro combustível derivado da cana-de-açúcar encerrou os quinze primeiros dias deste ano vendido a R$ 3,72, em média

Por Carlos Nealdo | Edição do dia 18/01/2024 - Matéria atualizada em 18/01/2024 às 04h00

O preço do etanol hidratado vendido nos postos alagoanos recuou 1,5% na primeira quinzena de 2024, na comparação a última quinzena do ano passado, segundo levantamento divulgado nesta quarta-feira (17), pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

De acordo com os dados, o litro combustível derivado da cana-de-açúcar encerrou os quinze primeiros dias do ano comercializado a R$ 3,72, em média, ante os R$ 3,78 registrado no fim de 2023.

Já o valor da gasolina caiu 1,2% entre uma quinzena e outra, chegando a R$ 5,49 em média. O preço do diesel permaneceu estável no período, sendo encontrado a R$ 5,87 nos postos pesquisados pela agência reguladora.

Em todo o País, o preço médios do etanol hidratado caiu em 13 Estados e no Distrito Federal (DF), subiu em outros 9 e ficou estável em 4.

Nos postos pesquisados pela ANP em todo o País, o preço médio do etanol subiu 1,18%, de R$ 3,39 o litro na semana anterior para R$ 3,43 o litro.

A maior queda porcentual na semana, de 3,66%, foi registrada no Distrito Federal, onde o litro passou de R$ 3,55 para R$ 3,42. A maior alta porcentual ocorreu em Goiás, de 19,76%, com o litro subindo de R$ 3,04 para R$ 3,64.

O preço mínimo registrado na semana para o etanol em um posto foi de R$ 2,69 o litro, em São Paulo. O maior preço, de R$ 6,60, foi registrado no Pará. Já o menor preço médio estadual, de R$ 3,03, foi observado em Mato Grosso, enquanto o maior preço médio foi registrado no Amapá, de R$ 5,34 o litro.

VANTAJOSO

Ainda de acordo com o levantamento da ANP, o etanol segue mais competitivo em relação à gasolina em 12 Estados: Acre, Alagoas, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, São Paulo e Tocantins, além do Distrito Federal, na semana encerrada no sábado (13).

No restante dos Estados, continua mais vantajoso abastecer o carro com gasolina.

Conforme o levantamento, a média dos postos pesquisados no País o etanol tinha paridade de 61,74% ante a gasolina, portanto favorável em comparação com o derivado do petróleo.

A paridade estava em 69,97% no Acre, 67,76% em Alagoas, 64,54% em Goiás; 54,40% em Mato Grosso; 60,60% em Mato Grosso do Sul; 62,06% em Minas Gerais; 68,07% na Paraíba; 63,89% no Paraná; 69,89% em Pernambuco; 69,18% no Rio de Janeiro, 59,60% em São Paulo e 69,88% no Tocantins. No Distrito Federal, estava em 65,02%.

Executivos do setor observam que o etanol pode ser competitivo mesmo com paridade maior do que 70%, a depender do veículo em que o biocombustível é utilizado.

Mais matérias
desta edição