app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5647
Economia

Dezoito mil alagoanos saem da inadimplência em 2023, aponta Serasa

Apesar disso, 39,48% da população adulta do estado está inadimplente, segundo levantamento do órgão

Por Hebert Borges | Edição do dia 27/01/2024 - Matéria atualizada em 27/01/2024 às 04h00

Dados da Serasa divulgados na última segunda-feira (22) mostram que a inadimplência recuou 1,82% em Alagoas em dezembro do ano passado. Em números absolutos isso significa 18 mil alagoanos que conseguiram pagar as dívidas. Ainda assim, 39,48% da população adulta do estado está inadimplente, o que significa 974.521 pessoas. Juntos, esses alagoanos devem R$ 4.178.925.291,64.

Ainda assim, o percentual de alagoanos inadimplentes é o oitavo menor do Brasil e o quinto menor do Nordeste. O estado com maior taxa de inadimplência entre a população adulta é o Rio de Janeiro, com 53,05%. Na outra ponta do ranking está o Piauí (33,47%).

Entre as faixas etárias, os maiores inadimplentes de dezembro do estado de Alagoas tinham entre 41 e 60 anos (34%), seguidos pela população de 26 a 40 anos (33,8%) e por pessoas acima de 60 anos (18,3%).

O motivo da maior parte das dívidas continua concentrado em quatro setores: bancos e cartões (36,14%), financeiras (22,59%), contas básicas de água, luz e gás (15,64%) e varejo (9,51%).

Somente na capital Maceió são 421.912 inadimplentes, com dívidas que, somadas, chegam ao montante de R$ 2.014.862.723,24. De acordo com a Serasa, a dívida média do alagoano é de R$ 4.288,18 - redução de 5,4% em relação ao valor de novembro (R$ 4.532,86).

Em nível nacional, apenas Goiás e Ceará apresentaram aumento no número de inadimplentes, com crescimento de 1,94% e 1,25%, respectivamente. Os demais 25 Estados seguiram a tendência de queda que já vinha sendo apontada em novembro. As maiores reduções em dezembro foram registradas em Rondônia (-2,82%), Mato Grosso (-3,71%) e Espírito Santo (-4,84%).

“O programa Desenrola desenvolvido pelo Governo Federal e os Feirões da Serasa contribuíram decisivamente para esses dados de novembro e dezembro”, diz Aline Maciel, gerente da plataforma Limpa Nome. “Somente a Serasa registrou um total de 4,1 milhões de acordos de débitos realizados ao longo do ano passado, concedendo um total de R$ 11,7 bilhões de descontos a 2,5 milhões de brasileiros”.

Em todo Brasil, o número de consumidores que não consegue pagar suas contas apresentou a segunda queda consecutiva em dezembro do ano passado, com 706 mil consumidores saindo da inadimplência. Com isso, o volume de população inadimplente caiu quase 1% no último mês do ano.

Mesmo com a redução, o endividamento ainda é alto no país, com 71,1 milhões de pessoas nessa situação. De acordo com o mapa, o valor total de dívidas em dezembro chegou à soma de R$ 367 bilhões, o que significa uma dívida média de R$ 5.174,62 por pessoa endividada – redução de 1,70% em relação ao valor de novembro (R$ 5.263,99).

Entre as faixas etárias, os maiores inadimplentes de dezembro tinham entre 41 e 60 anos (35%), seguidos pela população de 26 a 40 anos (34,2%) e por pessoas acima de 60 anos (18,7%). O motivo da maior parte das dívidas continua concentrado em quatro setores: bancos e cartões (27,92%), contas básicas de água, luz e gás (24,04%), financeiras (16,85%) e o setor de varejo (11,07%).

Mais matérias
desta edição