app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Economia

Setor de serviços em Alagoas cresce 4,8% em janeiro, diz IBGE

Quando o recorte analisado é o do crescimento em janeiro ante dezembro, a alta do estado foi de 3%, a 7ª maior do país

Por Hebert Borges | Edição do dia 16/03/2024 - Matéria atualizada em 16/03/2024 às 04h00

O setor de serviços em Alagoas cresceu 4,8% em janeiro deste ano ante o mesmo período do ano passado, de acordo com dados da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) divulgada nessa sexta-feira (15) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A taxa nacional foi de 4,5%.

Quando o recorte analisado é o do crescimento em janeiro ante dezembro, a alta de Alagoas foi de 3%, a 7ª maior do país. A média de crescimento nacional nesse cenário foi de 0,7%.

Quando o assunto é a receita do setor, Alagoas registrou a 11ª maior alta do Brasil, com crescimento de 10,9% em janeiro deste ano comparado com o mesmo mês do ano passado. Se analisando janeiro ante dezembro, a alta em Alagoas foi de 4,8%, a 4ª maior país.

Os resultados nacionais mostram que, em janeiro, o volume de serviços prestados no país cresceu 0,7% frente a dezembro. É o terceiro resultado positivo consecutivo do indicador, acumulando um ganho de 1,9%. Quatro das cinco atividades pesquisadas ficaram no campo positivo: informação e comunicação (1,5%), setor com maior impacto sobre o resultado geral; serviços profissionais, administrativos e complementares (1,1%) e transportes (0,7%). Os outros serviços (0,2%) mostraram uma ligeira variação positiva e os serviços prestados às famílias (-2,7%) assinalaram queda.

Dessa forma, o setor de serviços se encontra 13,5% acima do nível de fevereiro de 2020 (pré-pandemia) e 0,7% abaixo de dezembro de 2022 (ponto mais alto da série histórica).

Este é o quarto resultado positivo seguido para o setor de informação e comunicação (1,5%), que acumulou no período um ganho de 3,8%. No confronto com igual mês do ano anterior, o volume de serviços apontou expansão de 4,5% em janeiro de 2024, após ter recuado 1,9% em dezembro. A configuração do índice deste mês se deu de forma mais espalhada tanto setorialmente como em termos regionais, já que todas as 5 atividades e 26 das 27 unidades da federação avançaram frente a igual mês do ano anterior.

O volume de serviços, ao crescer 4,5% em janeiro de 2024, interrompe longa sequência de perda de dinamismo que já vinha sendo desenhada desde o segundo trimestre de 2021 (21,5%) até o último trimestre de 2023 (-0,6%), todas as comparações contra iguais períodos do ano anterior.

Em janeiro de 2024, o índice de atividades turísticas caiu 0,8% frente ao mês imediatamente anterior, após ter mostrado expansão de 2,6% em dezembro. Com isso, o segmento de turismo se encontra 3,5% acima do patamar de fevereiro de 2020 e 4,3% abaixo do ponto mais alto da série, alcançado em fevereiro de 2014.

Apenas quatro dos 12 locais pesquisados acompanharam este movimento de retração verificado na atividade turística nacional (-0,8%). As influências negativas mais relevantes ficaram com Rio de Janeiro (-5,7%) e Rio Grande do Sul (-6,2%). Em sentido oposto, Ceará (11,9%), Bahia (2,7%), São Paulo (0,3%) e Minas Gerais (1,1%) assinalaram os principais avanços em termos regionais.

Mais matérias
desta edição