app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5751
Economia

AL registra abertura de 18,7 mil empresas no primeiro semestre

Número representa um crescimento de 1,13% em relação ao mesmo período do ano passado, segundo os dados da Juceal

Por Da Redação | Edição do dia 09/07/2024 - Matéria atualizada em 09/07/2024 às 04h00

Alagoas registrou a abertura de 18.721 empresas no primeiro semestre de 2024. O número representa um crescimento de 1,13% em relação ao mesmo período do ano passado. No mesmo período, foram extintas 11.753 empresas no estado, o que resulta num saldo positivo de 6.958 empreendimentos.

Os dados foram divulgados pela Junta Comercial do Estado de Alagoas (Juceal), entidade responsável pela abertura, alteração e baixa de negócios no estado.

Nos primeiros seis meses deste ano, foram constituídos 14.017 microempreendedores individuais (MEIs), 3.403 microempresas (MEs), 856 empresas de pequeno porte (EPPs) e 445 negócios considerados sem porte.

O MEI é um empreendimento com renda bruta máxima de até R$ 81 mil ao ano e sem participação em outro negócio, a ME, por sua vez, possui renda bruta anual inferior ou igual a R$ 360 mil, enquanto a EPP possui renda bruta anual superior a R$ 360 mil e inferior a R$ 4,8 milhões.

Nessa análise referente ao porte empresarial, segundo a Juceal, houve um crescimento de 9,25% para as MEs, 20,73% para as EPPs e 3,01% para os negócios considerados sem porte, quando comparados os primeiros semestres de 2023 e 2024. Por outro lado, para os MEIs, houve uma redução na abertura empresarial de 1,68%.

Delimitando o número semestral de acordo com as naturezas jurídicas, as constituições empresariais neste ano refletiram em 15.212 empresários individuais, 3.431 sociedades limitadas, 28 sociedades anônimas fechadas, 23 cooperativas, 19 consórcios de sociedades, 6 sociedades anônimas abertas e 2 sociedades de economia mista.

As análises em relação às atividades econômicas são feitas como passe no que é definido pela Comissão Nacional de Classificação (Concla), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), definindo as seções de atividades como classificação macro e os códigos de atividades como classificação micro.

Segundo a Junta Comercial, as seções de atividades com maiores números no primeiro semestre foram comércio (5.140 empresas); transporte, armazenagem e correio (2.729); alojamento e alimentação (1.772); atividades administrativas e serviços complementares (1.289); construção (1.288); atividades profissionais, científicas e técnicas (1.246); indústrias de transformação (1.167); outras atividades de serviços (1.115); educação (982); saúde humana e serviços sociais (600); informação e comunicação (483); artes, cultura, esporte e recreação (229); atividades imobiliárias (167); serviços domésticos (143); e atividades financeiras, de seguros e serviços relacionados (139).

Observando as atividades principais, para as MEs, os maiores valores foram encontrados para restaurantes (110 empresas); comércio varejista de produtos farmacêuticos (105); comércio varejista de artigos do vestuário e acessórios (89); serviços de engenharia (87); atividades de psicologia e psicanálise (81); serviços combinados de escritório (75); e construção de edifícios (74).

Mais matérias
desta edição