app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5758
Esportes

Corinthians tem hoje�jogo de vida ou morte

O Corinthians só tem uma alternativa para continuar vivo no Brasileiro da Série C: a vitória neste sábado, às 20h30, no Lourival Batista, em Aracaju, diante do Confiança. A partida estava marcada anteriormente para amanhã, mas foi antecipada para hoje. Ou

Por | Edição do dia 14/09/2002 - Matéria atualizada em 14/09/2002 às 00h00

O Corinthians só tem uma alternativa para continuar vivo no Brasileiro da Série C: a vitória neste sábado, às 20h30, no Lourival Batista, em Aracaju, diante do Confiança. A partida estava marcada anteriormente para amanhã, mas foi antecipada para hoje. Outro resultado significará praticamente a eliminação precoce do torneio, em vista de sua péssima colocação no grupo 6. Com apenas dois pontos em três partidas, o Tricolor precisa, principalmente, ganhar do Confiança, adversário direto pela segunda vaga, porque a outra deve ser do CSA – três jogos, três vitórias. Ganhando neste sábado, para superar Confiança, que tem quatro pontos, o Corinthians ficará com chances de ir à segunda fase da competição, pois poderá também vencer o Sergipe, em Aracaju, e o CSA, no Nélson Peixoto Feijó. “É uma tarefa muito difícil, mas não impossível. A vitória contra o Confiança, com certeza, será a decisão da nossa classificação”, analisou Alarcon Pacheco, supe-rintendente do clube. Arrisca tudo O técnico Eduardo Neto garantiu que sua equipe vai arriscar tudo pela vitória, mas considera fundamental a marcação no meio-campo. “O ataque será nossa prioridade, até porque precisamos ganhar, mas primeiro devemos neutralizar o adversário com forte marcação. Só assim poderemos ter sempre a posse de bola e com chances de criação de jogadas em função do gol”, afirmou Eduardo Neto. O goleiro Geraldo, recuperado de uma virose, é uma das novidades. Lino, contundido, é o desfalque, entrando Wellington Barros em seu lugar. No ataque, outra novidade é Mimi no posto de Vítor. O Corinthians deve jogar com Geraldo; Edilton, Ricardo, Toninho e Possato; Roberto Amos, Sinvaldo, Wellington Barros e Cléber; Mimi e Luciano Rosa.

Mais matérias
desta edição