app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5709
Esportes

CBF descarta virada de mesa para beneficiar os grandes

Rio – Em reunião com representantes dos clubes ontem à tarde, na sede da CBF, Ricardo Teixeira reafirmou que está descartada qualquer possibilidade de virada de mesa no Brasileiro-2002. “Quero avisar que não quero que nenhum de vocês bata nesta porta e e

Por | Edição do dia 17/10/2002 - Matéria atualizada em 17/10/2002 às 00h00

Rio – Em reunião com representantes dos clubes ontem à tarde, na sede da CBF, Ricardo Teixeira reafirmou que está descartada qualquer possibilidade de virada de mesa no Brasileiro-2002. “Quero avisar que não quero que nenhum de vocês bata nesta porta e entre nesta sala depois do campeonato para pedir virada de mesa. Desta vez isso não vai acontecer”, avisou o presidente da CBF. Se vêem reduzidas as chances de mudança nas regras este ano, os clubes começam a articular maneiras de evitar que em 2003 os grandes passem tanto sufoco como neste ano. Hoje, entre os quatro que cairiam para a Série B, estão dois filiados do Clube dos 13. Na reunião, os times defenderam que, em 2003, apenas dois sejam rebaixados. Assim, o número de participantes da elite se estabilizaria em 24. A decisão terá que ser ratificada no Conselho Técnico, que se reunirá em dezembro. O recado de Teixeira foi ouvido por Mustafá Contursi (Palmeiras) e Paulo Maracajá (Bahia), dois clubes tradicionais ameaçados de cair. Eurico Miranda, dirigente do Vasco, não foi à CBF. Participaram também do encontro Fábio Koff (Clube dos 13), Hélio Ferraz (Flamengo), David Fischel (Fluminense), Mauro Ney Palmeiro (Botafogo), Mario Celso Petraglia (Atlético-PR), Marcelo Teixeira (Santos), Fernando Carvalho (Inter) e Marcelo Campos Pinto (Globo), entre outros. A reunião foi marcada por Teixeira para a oficialização do novo calendário da CBF, por meio da publicação de uma RDI (Resolução de Diretoria). Foi confirmada a extinção dos torneios regionais, o prolongamento do Brasileiro para mais de oito meses e a disputa dos Estaduais em 12 datas. Respeito Na saída do evento, o presidente do Clube dos 13 defendeu o respeito ao regulamento, mesmo que um filiado à associação esteja entre os rebaixados. “Não acho nada mau que os grandes caiam para a segunda divisão porque só assim teremos uma Série B forte. Não há virada de mesa neste ano. Isso é proibido”, afirmou Koff. Contursi, Eurico e Campos Pinto também já haviam defendido a manutenção das regras mesmo se times tradicionais caírem. A fórmula do Brasileiro-2003 só será oficializada no fim deste ano. Ainda não está definido se a competição será disputada em pontos corridos ou se haverá final para decidir o campeão. Porém, o presidente do Vasco, Eurico Miranda, garantiu que seu clube não vai disputar de forma alguma a Segunda Divisão do Campeonato Brasileiro em 2003. Essa entrevista do dirigente fez com que voltasse à tona a hipótese de acontecer uma virada de mesa para o Brasileirão do próximo ano. “Meu clube não vai disputar a Segunda Divisão, entendeu?”, disse Eurico. Perguntado sobre a hipótese do Palmeiras também ser rebaixado, Eurico adotou um discurso de defesa do clube paulista. “Se estão transformando o futebol numa coisa comercial, não vão prescindir da marca Palmeiras no nosso principal campeonato”, afirmou Eurico. O ex-técnico da Seleção Brasileira, Luiz Felipe Scolari, foi um dos 32 mil torcedores que compareceram ao Estádio St. Mary, na cidade de Southampton, para assistir ao decepcionante empate entre Inglaterra e Macedônia, 2 a 2, ontem, pelo Grupo 7 das eliminatórias da Eurocopa. Os gols ingleses foram marcados por David Beckham e Steven Gerrard, enquanto Artim Shakiri e Vanco Trajanov anotaram para a Macedônia. A Turquia lidera a chave com nove pontos, 100% de aproveitamento, enquanto os ingleses têm quatro pontos.

Mais matérias
desta edição