app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5751
Esportes

Brasileiro: ainda � dram�tica a luta contra o rebaixamento

São Paulo - No sangue derramado pelo santista Preto, a disputa contra o rebaixamento à segunda divisão do Campeonato Brasileiro mostrou quarta-feira sua dramaticidade. A jornada de nove jogos embolou mais a tabela do torneio, prejudicando, principalmente,

Por | Edição do dia 25/10/2002 - Matéria atualizada em 25/10/2002 às 00h00

São Paulo - No sangue derramado pelo santista Preto, a disputa contra o rebaixamento à segunda divisão do Campeonato Brasileiro mostrou quarta-feira sua dramaticidade. A jornada de nove jogos embolou mais a tabela do torneio, prejudicando, principalmente, o Palmeiras e os times do Rio. Apenas cinco pontos separam o Fluminense, 14º colocado, da equipe paulista, 26ª e última. Quem se saiu melhor na rodada entre os times da parte de baixo da tabela foram os clubes menos tradicionais. Com a polícia de Belém batendo nos atletas do Santos, o Paysandu venceu por 2 a 1 e não está entre os quatro times que estariam “condenados” hoje. Mesmo ainda na zona do perigo, o Paraná, ao vencer o Gama por 2 a 1, conseguiu deixar, pelo menos, a lanterna com o Palmeiras. Já o time do DF, o único que atuou 21 vezes até agora, entrou no grupo dos clubes que estariam hoje rebaixados à Série B. A jornada também foi muito ruim para os times cariocas. Sem atuar na rodada, o Botafogo ficou estacionado nos 22 pontos e entrou na zona de desespero. Batido pelo Figueirense por 2 a 1, o Flamengo tem a mesma pontuação que os botafoguenses, mas, por levar vantagem nos critérios de desempate, não está hoje entre os quatro últimos. Outro time do Rio em situação delicada é o Vasco, que perdeu para o Bahia por 4 a 2. O clube presidido por Eurico Miranda tem apenas 23 pontos. O Cruzeiro é mais um fundador do Clube dos 13, que corre sérios riscos. O time de Wanderley Luxemburgo, na 18ª posição, só tem dois pontos a mais do que os primeiros clubes na zona do rebaixamento à segunda divisão. O Palmeiras tem bons motivos para ficar preocupado. Dos cinco jogos que ainda vai fazer, o time só disputará dois deles no Parque Antártica.

Mais matérias
desta edição