app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5717
Esportes

Guga bem perto de fazer hist�ria nas duplas no Masters de Paris

Paris (França) - Gustavo Kuerten não passou da estréia na chave de simples do Masters Series de Paris, mas nas duplas ele está bem perto de fazer história. Ao lado do francês Cédric Pioline, o brasileiro decide o título de duplas, a décima de sua carreira

Por | Edição do dia 03/11/2002 - Matéria atualizada em 03/11/2002 às 00h00

Paris (França) - Gustavo Kuerten não passou da estréia na chave de simples do Masters Series de Paris, mas nas duplas ele está bem perto de fazer história. Ao lado do francês Cédric Pioline, o brasileiro decide o título de duplas, a décima de sua carreira, neste domingo, contra Fabrice Santoro/Nicolas Escudé ou Ellis Ferreira/Pavel Vizner, que fizeram a outra semifinal ontem. Convidados a integrar a chave principal do Masters Series francês, Guga e Pioline já ganharam quatro jogos e perderam apenas um set, sexta-feira, contra Woodbridge e Bjorkman. “A gente foi se entrosando aos poucos, crescemos a partida e estou realmente muito feliz de estar terminando o ano com uma final”, disse Guga. Nas quartas-de-final, Guga e seu parceiro francês haviam derrubado o canadense Daniel Nestor e Mark Knowles, das Bahamas, simplesmente a melhor dupla do mundo. Guga disputou sua última decisão há cerca de dois meses, quando, fazendo parceria com o mineiro André Sá, ficou com o vice-campeonato no Brasil Open. Caso não conquiste o título em Paris, o brasileiro vai terminar uma temporada, pela primeira vez desde 96, sem uma conquista em duplas. A primeira taça do catarinense na modalidade veio há seis anos. Ao lado de Fernando Meligeni, sagrou-se campeão em Santiago. No ano seguinte, também tendo Fininho como parceiro, ficou com o título em Estoril, Bolonha e Stuttgart, todos em quadra de saibro. Em 98, ganhou o torneio de Gstaad. Já na temporada 99, Guga começou o ano levantando o troféu em Adelaide, com o equatoriano Nicolas Lapentti. No ano seguinte, acompanhado pelo brasileiro Antônio Prieto, foi campeão do torneio de Santiago. Sua última conquista aconteceu justamente no ano passado, em Acapulco, quando atuou com o norte-americano Donald Johnson.

Mais matérias
desta edição