app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5754
Esportes

Parreira j� foi algoz do Tim�o

São Paulo - Torcedor declarado do Fluminense, o técnico Carlos Alberto Parreira viveu no time carioca algumas de suas maiores glórias na carreira. Um dos títulos inesquecíveis foi o do Campeonato Brasileiro de 1984, conquistado em cima do Vasco. A vaga pa

Por | Edição do dia 01/12/2002 - Matéria atualizada em 01/12/2002 às 00h00

São Paulo - Torcedor declarado do Fluminense, o técnico Carlos Alberto Parreira viveu no time carioca algumas de suas maiores glórias na carreira. Um dos títulos inesquecíveis foi o do Campeonato Brasileiro de 1984, conquistado em cima do Vasco. A vaga para a final naquele ano foi alcançada após eliminar o Corinthians, clube no qual trabalha atualmente. Agora o destino colocou novamente Corinthians e Fluminense frente a frente em uma semifinal. Mas desta vez, Parreira está do outro lado. Apesar das boas lembranças do time carioca, o treinador garante que deixará a paixão de lado. “Tenho um carinho muito grande pelo Fluminense, mas agora tem que prevalecer o lado profissional. Sou Timão até debaixo d’água”, disse. Parreira se recorda bem daquele elenco campeão e fez até comparações com o que comanda hoje. “O que se destacava naquela equipe era o bom ambiente que existia e a qualidade do grupo. Nesses aspectos aquele Fluminense e o Corinthians de agora se assemelham bastante”. O treinador disse que a conquista de 84 foi importante para sua afirmação no cenário brasileiro. “Aquele título consolidou o Parreira como treinador”, lembrou o carioca, hoje bem diferente daquele de 18 anos atrás. “Estou mais experiente, mais seguro. Naquela época ainda estava começando”. Ao ser perguntado se o Corinthians é favorito, o técnico Carlos Alberto Parreira disparou. “Assim como o São Paulo era favorito e dançou na primeira eliminatória. É assim que eu vejo: não tem favorito e ganha quem jogar melhor”. Segundo o treinador, o time tem “remado contra a maré” de descrédito. “Contra muitas expectativas e previsões, estamos conseguindo chegar como sempre com muita humildade, trabalho, sem muito alarde”.

Mais matérias
desta edição