app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5731
Esportes

Projeto usa linguagem diferente e divertida para divulgar as not�cias

No início, o Pontapé Alagoano tinha páginas apenas nas redes sociais Instagram e Facebook, mas depois seus criadores deram início a um programa no YouTube, o “10 Max”, apresentado pelo graduando em Jornalismo Max Cavalcante. “Nós nos sentimos livres para

Por | Edição do dia 26/07/2015 - Matéria atualizada em 26/07/2015 às 00h00

No início, o Pontapé Alagoano tinha páginas apenas nas redes sociais Instagram e Facebook, mas depois seus criadores deram início a um programa no YouTube, o “10 Max”, apresentado pelo graduando em Jornalismo Max Cavalcante. “Nós nos sentimos livres para criar coisas novas e fazer brincadeiras no meio das notícias. A internet possibilita isso, permite que tenhamos uma liberdade nas nossas publicações, além da linguagem diferente”, explicou Marcel Leite. No início do mês, o presidente do ASA usou uma rede social para reclamar do Cruzeiro, cobrando o pagamento do atacante Valdívia (Caíque). Na ocasião, o projeto usou personagens da Turma do Chaves para transmitir a informação no formato Pontapé. “O nosso desenho deu certo, o presidente do ASA compartilhou, e até torcedores do Cruzeiro pediram desculpas pelo erro da diretoria do clube. A imagem repercutiu muito e no dia seguinte o pagamento foi feito. Acreditamos que ajudamos ao clube alagoano nessa situação, pelo menos 5% ajudamos”, disse Kleber Lopes, aos risos, lembrando do ocorrido. As contas no Facebook e no Instagram são atualizadas diariamente tendo como foco as notícias referentes aos clubes alagoanos ou mesmo às personalidades ligadas ao futebol de Alagoas; já o canal do YouTube possui uma periodicidade diferente, com programas mais frios e elaborados sobre assuntos gerais e históricos do futebol local. * Sob supervisão da editoria de Esportes.

Mais matérias
desta edição