app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5730
Esportes

Carat�: um amor de pai para filho

“O filho que se tornou o pai do caratê na família”, é assim que se define o lutador e professor de caratê Enio Alves da Silva, de 43 anos de idade, dono de uma academia de caratê, a Dojo-Kan, em Maceió. O alagoano iniciou na arte marcial com 15 anos de id

Por | Edição do dia 09/08/2015 - Matéria atualizada em 09/08/2015 às 00h00

“O filho que se tornou o pai do caratê na família”, é assim que se define o lutador e professor de caratê Enio Alves da Silva, de 43 anos de idade, dono de uma academia de caratê, a Dojo-Kan, em Maceió. O alagoano iniciou na arte marcial com 15 anos de idade e fez do seu estilo de vida o mesmo de toda a família. Praticam caratê com Enio, seus pais, Eugênio e Claudina, a esposa, Katiane, e os dois filhos, a Yuki e o Akyu, de 12 e 9 anos, respectivamente. Nada mais sugestivo do que uma história como essa em pleno Dia dos Pais “É muito bom ver meus filhos, a minha esposa e os meus pais convivendo comigo, treinando caratê em conjunto. É gratificante e me sinto orgulhoso, pois fui eu que tomei a iniciativa do esporte, e trouxe o caratê para a família”, falou Enio. Ele revelou que começou no esporte em 1987, pois assistia a muitos filmes de ação na época. Eugênio, seu pai, procurou uma academia de kung-fu, como não encontrou, o colocou no caratê. “O esporte virou minha profissão, já são 25 anos que sou professor de caratê. Em 1987 já fui campeão alagoano”, disse. O lutador ainda participa de competições na categoria Master. “Minha esposa, Katiane Alves, é tetracampeã brasileira e vai disputar o penta este ano; meus filhos se classificaram e vão para Joinville disputar a competição; minha mãe, Claudina, foi vice-campeã brasileira master; e eu me classifiquei e viajarei para disputar o nacional também. Vai a família toda para Joinville”, informou. * Sob supervisão da editoria de Esportes.

Mais matérias
desta edição