app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5731
Esportes

Futebol � discutido em Macei�

Jornalistas, radialistas estudantes de Jornalismo, dirigentes de clubes, árbitros de futebol e amantes do esporte em geral, sobretudo do futebol, a “Paixão Nacional”, participaram ontem à noite, da solenidade de abertura do 41º Congresso Brasileiro de Cro

Por | Edição do dia 27/08/2015 - Matéria atualizada em 27/08/2015 às 00h00

Jornalistas, radialistas estudantes de Jornalismo, dirigentes de clubes, árbitros de futebol e amantes do esporte em geral, sobretudo do futebol, a “Paixão Nacional”, participaram ontem à noite, da solenidade de abertura do 41º Congresso Brasileiro de Cronistas Esportivos, promovido pela Associação Brasileira de Cronistas Esportivos (Abrace) e Associação dos Cronistas Desportivos de Alagoas (ACDA). O evento está sendo realizado no Teatro Gustavo Leite - Centro de Convenções de Maceió – e prossegue até o próximo sábado. A solenidade de abertura ficou a cargo do ministro de Esportes, George Hilton. A secretária estadual de Esporte, Lazer e Juventude, Cláudia Petuba; o presidente da ACDA, Jorge Lins; e o secretário de Comunicação do Estado, jornalista Enio Lins, representando o governador de Alagoas, Renan Filho, também falaram na abertura do evento. Mas o ponto alto da noite foi mesmo a palestra do renomado jornalista Juca Kfouri, que discorreu sobre o tema: “O futebol brasileiro pós Copa do Mundo”. O experiente e polêmico cronista conversou sobre o atropelo alemão no fatídico 7 a 1 na semifinal da Copa 2014 e sobre o escândalo de corrupção na Ffifa. Segundo Kfouri, a Copa teve um viés que não trouxe algo positivo para o país. “A Copa do Mundo foi um espetáculo para os estrangeiros, foi às mil maravilhas e para o brasileiro foi péssimo”, disse. Kfouri não se ateve apenas ao produto final, o futebol dentro de campo, ele apontou problemas na origem que está matando a modalidade no País. “Sempre tivemos o futebol de várzea, como um grande celeiro, mas com sua extinção, o futebol também sentiu o problema”, disse. Sem papas na língua, Kfouri confrontou o ministro do Esporte, George Hilton, que antes de sua fala afirmou que estava tudo bem no Brasil. “Na realidade não está nada bem. Temos muitos problemas” alfinetou Kfouri. * Sob supervisão da editoria de Esportes

Mais matérias
desta edição