app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5710
Esportes

Selecion�veis mineiros seguem dicas do t�cnico

Belo Horizonte - A recomendação do técnico da Seleção  Brasileira, Luiz Felipe Scolari,  para que os convocados não se  exponham a riscos desnecessários, em seus clubes, nos dois  meses que antecedem a Copa do Mundo, será seguida pelo atacante Edílson e p

Por | Edição do dia 26/03/2002 - Matéria atualizada em 26/03/2002 às 00h00

Belo Horizonte - A recomendação do técnico da Seleção  Brasileira, Luiz Felipe Scolari,  para que os convocados não se  exponham a riscos desnecessários, em seus clubes, nos dois  meses que antecedem a Copa do Mundo, será seguida pelo atacante Edílson e pelo volante Gilberto Silva. Os jogadores, que estão em Fortaleza, para o amistoso com a Iugoslávia, consideraram compreensíveis as preocupações de Felipão. “É normal que o técnico da Seleção queira que os jogadores se apresentem da melhor maneira possível, tanto técnica como fisicamente”, disse o Capetinha, artilheiro do Cruzeiro na Copa Sul-Minas, com nove gols. Para Gilberto Silva, não adianta um jogador demonstrar vontade para atuar, sem estar bem condicionado e preparado para disputar uma partida de futebol. “Por mais que a vontade de jogar seja grande, se o atleta não estiver bem na parte física, isso pode comprometê-lo durante o jogo”, observou o volante atleticano. A observação feita por Felipão, durante a entrevista coletiva, após a convocação dos brasileiros para o jogo com a Iugoslávia, é que os jogadores evitem jogar pelos seus clubes em situações adversas e sem necessidade. Edílson não acredita que Scolari estivesse referindo-se à postura dos jogadores em campo. “Ele disse para os jogadores se cuidarem, tratarem de qualquer dor que sentir, não arriscar”, observou o jogador cruzeirense. Gilberto Silva lembra que, após jogar contra a Arábia Saudita, em Riad, ele entrou em campo praticamente sem descanso, diante do Paraná Clube, pela Copa Sul-Minas. “Isso depende de como cada um reage à situação, mas o jogador tem que estar bem para suportar o ritmo de um jogo”, avaliou o volante, que no entanto não sabe se repetiria o sacrifício novamente.

Mais matérias
desta edição