app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Esportes Contra o Figueirense, Azulão não conseguiu sair do zero e se manteve em 4º lugar

CSA perde pontos em jogos com times que lutam contra Z4

Azulão empatou com o Figueirense e perdeu para o Paraná, deixando de somar pontos importantes na luta pelo acesso

Por Rafael Reis e Raphael Silva | Edição do dia 14/01/2021 - Matéria atualizada em 13/01/2021 às 19h04

Embalado para entrar no G-4 da Série B, após o vencer o Sampaio Corrêa, de virada, o CSA se viu diante de dois confrontos decisivos. Iria enfrentar Figueirense e Paraná longe de casa. Dois concorrentes ao rebaixamento. Seria a chance para o Azulão decolar e assegurar uma vaga na Série A. Mas não foi isso que aconteceu.

Com um aproveitamento ruim como visitante na competição, o CSA não conseguiu melhorar seus números e conquistou apenas um ponto dos seis disputados. Empatou por 0 a 0 com o Figueira e perdeu por 2 a 0 para o Paraná. Os dois oponentes ocupam, respectivamente, a 18ª e 17ª posição na tabela. No 1º turno, no Rei Pelé, o CSA goleou os dois times por 3 a 0 e 4 a 0, respectivamente.

Enquanto ostenta a 2ª melhor campanha como mandante, com 72% de aproveitamento, quando sai de seus domínios o Azulão despenca de produtividade. É somente o 13º melhor visitante, com 29% de aproveitamento. Apenas três vitórias longe. São seis empates e oito derrotas. A última vitória foi a goleada sobre o Confiança por 5 a 1, na 27ª rodada.

Com esses maus resultados, o CSA, que tinha 60% de chance de acesso, após a vitória sobre o Sampaio, de acordo com o Departamento de Matemática da UFMG, viu as chances caírem para 45,7%, após a derrota para o Paraná. As chances só não diminuíram mais por conta de tropeços do Juventude (5º), empatado com o Azulão, com 52 pontos.

Para selar o acesso para o Série A mais uma vez, o time de Mozart precisa melhorar seu aproveitamento fora. Nas últimas quatro rodadas, o Azulão jogará duas em casa e duas fora. Novamente enfrentará times que estão na parte de baixo da tabela, Botafogo-SP e Náutico. No primeiro turno, o Azulão conquistou seis pontos contra os mesmos adversários.

Segundo o matemático Tristão Garcia, o time que chegar aos 66 pontos garante o acesso. Chapecoense e América-MG estão empatados com os mágicos 66 pontos e garantidos na Série A de 2021. O CSA só poderá chegar, no máximo, a 64. Se servir de alento aos torcedores mais preocupados, em 2018 o Azulão subiu com 62 pontos. Não há mais margem para erro.

O CSA agora volta as atenções para o duelo de seis pontos com o Avaí pela 35ª rodada, no Rei Pelé, sábado (16), às 16h30. Se vencer, torce por uma derrota do Cuiabá para o Guarani, para subir ao 3º lugar.

CASTÁN

Na noite dessa terça (12), em jogo contra o Paraná, em Curitiba, em que o CSA foi derrotado por 2 a 0, o zagueiro Luciano Castán chegou à marca de 100 jogos vestindo a camisa do Azulão.

Natural de Jaú-SP, Castán chegou ao CSA durante a temporada 2019, após passar quase três temporadas no exterior. Em seu primeiro ano, fez o gol do 39ª título estadual azulino, nos pênaltis no Clássico das Multidões, além de ser titular durante toda campanha no Brasileirão da Série A.

Ele tornou-se um dos jogadores que mais entraram em campo pelo CSA. Em 2019 foram 55 jogos (3 amistosos e 52 oficiais). Já na atual temporada, se fez presente em campo em 45 jogos. Com a camisa azulina, ele fez dois gols e deu uma assistência, durante 3.974 minutos jogados nesta temporada.

* Sob supervisão da editoria de Esportes.

Mais matérias
desta edição