app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5715
Esportes

Entidade vai � Justi�a comum contra o Vasco

A Fundação Educacional e de Estímulo à Geração de Empregos, através da advogada Andréa Carla Souto Maior de Melo, entrou ontem à tarde na Justiça comum, com uma ação de Mandado de Segurança com pedido de Liminar, para suspender a partida de hoje entre V

Por | Edição do dia 10/04/2002 - Matéria atualizada em 10/04/2002 às 00h00

A Fundação Educacional e de Estímulo à Geração de Empregos, através da advogada Andréa Carla Souto Maior de Melo, entrou ontem à tarde na Justiça comum, com uma ação de Mandado de Segurança com pedido de Liminar, para suspender a partida de hoje entre Vasco e São Paulo, pela Copa do Brasil, marcada para São Januário, até que os direitos do clube alagoano sejam respeitados e reconhecidos. A entidade tomou essa iniciativa e contratou um escritório de advocacia por entender e reconhecer o desrespeito que foi praticado, não só contra o CSA como também contra o Estado de Alagoas, a partir do momento em que o presidente em exercício do Superior Tribunal de Justiça Desportiva, Paulo César Salomão, indeferiu a liminar do clube alagoano, que pedia a eliminação do Vasco por ter utilizado um jogador de forma irregular na primeira partida da Copa do Brasil, disputada no Estádio Rei Pelé, vencida pelos azulinos por 2x1. A ação foi protocolada no  Forum da capital e o processo foi  distribuído para a 1a Vara da Fazenda Pública, ficando a decisão a  cargo da juíza Maria Esther Cavalcante Manso. Sendo concedida a liminar, a Confederação Brasileira de Futebol será oficializada da decisão para adotar as medidas cabíveis. O indeferimento do pedido inicial por parte do presidente em exercício do STJD, Paulo César Salomão, continua causando polêmica, pois casos parecidos com o do CSA tiveram decisões favoráveis, a exemplo do que aconteceu com o Gama, que escapou do rebaixamento em 1999, quando o São Paulo perdeu cinco pontos, justamente por escalar um jogador em situação irregular, beneficiando o Botafogo. O Gama foi representado por outras entidades na Justiça Comum, afirmou Gabriel Capristano, advogado do CSA no Rio de Janeiro. Apoio O São Paulo entrou ontem com uma medida cautelar no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), no Rio, para tentar o adiamento do jogo contra o Vasco, pelas quartas-de-final da Copa do Brasil, até que o caso Vasco x CSA seja julgado.

Mais matérias
desta edição