app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Esportes

Guga anuncia que n�o joga Copa Davis contra Paraguai

São Paulo - Gustavo Kuerten anunciou, ontem, que não disputará os jogos da Copa Davis, em que o Brasil enfrenta o Paraguai, de 9 a 11 de abril, na Costa do Sauípe. Integrante da equipe brasileira desde 1996, com um recorde de 29 vitórias e 14 derrotas na

Por | Edição do dia 10/03/2004 - Matéria atualizada em 10/03/2004 às 00h00

São Paulo - Gustavo Kuerten anunciou, ontem, que não disputará os jogos da Copa Davis, em que o Brasil enfrenta o Paraguai, de 9 a 11 de abril, na Costa do Sauípe. Integrante da equipe brasileira desde 1996, com um recorde de 29 vitórias e 14 derrotas na competição, tendo defendido o Brasil em 17 confrontos, Guga optou por não jogar a Davis por não concordar com a atual administração da Confederação Brasileira de Tênis. “Foi uma decisão muito difícil que eu tive que tomar. Jogo a Davis desde 1996 e só deixei de representar o meu país, uma vez, por motivos de saúde (no confronto contra a República Tcheca, em fevereiro de 2002). Tenho a Davis no sangue, vivi grandes emoções competindo, já joguei até machucado e estou triste por ter que deixar de jogar desta vez”, salientou o tenista. Tricampeão de Roland Garros, entre os 20 títulos que tem no circuito e líder do ranking mundial por 43 semanas, Guga se sentiu desrespeitado pela CBT, quando a entidade passou a interferir nos aspectos técnicos da Copa Davis, como a escolha do local e piso dos jogos e até mesmo trocou de capitão, sem avisar ou consultar os jogadores. A escolha de Jaime Oncins para o lugar de Ricardo Acioly como capitão da equipe foi a gota d’água para Guga. “Não fomos consultados sobre a escolha do local dos jogos e nem sobre a troca de capitão da Davis. Quando a gente ganha um confronto, nós jogadores somos elogiados. Quando perdemos, como foi contra o Canadá, no ano passado e somos rebaixados, nós jogadores levamos a culpa, não a CBT. Quem atua na Davis somos nós, os jogadores e fomos completamente desrespeitados.”

Mais matérias
desta edição