app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Esportes Regatas avançaria à decisão mesmo se fosse derrotado por um gol de diferença no Rei Pelé

CRB vence Aliança por 2 a 1 e decidirá título alagoano contra CSA

Com gols de Lucão e Hyuri, Galo volta a bater o Tricolor Alagoano após triunfar no jogo de ida por 1 a 0; Jonathan marcou o tento tricolor

Por Daniel de Oliveira | Edição do dia 13/05/2021 - Matéria atualizada em 13/05/2021 às 04h00

Após ter vencido a ida por 1 a 0, no Estádio da UFAL, o CRB não jogou bem a 2ª partida, disputada nessa quarta (12), mas conseguiu bater o Aliança por 2 a 1, no Rei Pelé. Com isso, os regatianos decidirão o título alagoano no clássico contra o CSA. Jonathan marcou para os tricolores. Lucão e Hyuri anotaram os tentos alvirrubros.


Por ostentar a melhor campanha da 1ª fase, o Galo poderia até contar com a vantagem do empate na soma do placar agregado e avançaria à decisão mesmo se tivesse perdido por um gol de diferença. Antes de entrar em campo no 2º tempo, Luca Caio sofreu o 3º cartão amarelo ainda no banco de reservas e está fora do jogo de ida da grande final.


Mesmo com a derrota e a eliminação, o Tricolor Alagoano fez história ao alcançar a 2ª fase da competição na sua temporada de estreia na elite do futebol alagoano. A Arara ainda tem chances de conquistar a vaga para a Série D - o que seria sua primeira participação da equipe em um torneio nacional - ao enfrentar o CSE na disputa do 3º lugar e poderá assegurar uma vaga na Série D de 2022.


CRB e CSA irão duelar pelo troféu já neste sábado (15), quando acontece o primeiro jogo da final. O confronto da volta está marcada para o dia 22. Em caso de empate na soma dos placares dos dois jogos, o título será decidido nos pênaltis.


Primeiro tempo

A partida teve início que se esperava dela: na desvantagem, o Aliança partiu para cima e empurrou a defesa regatiana contra a parede. A pressão intensa deu frutos logo aos 7’, com o gol tricolor. Em investida na ponta canhota, Diego cruzou rasteirinho para Jonathan, na pequena área, se esticar num carrinho e balançar as redes.


Mesmo com o ataque não tão inspirado, o Galo conseguiu o empate nos acréscimos. Após um pênalti polêmico, aos 47’, originado numa disputa entre o tricolor Gabriel e o regatiano Wellington, Lucão foi para a cobrança, bateu no canto direito e a redonda acertou a trave direita e morreu no fundo do gol.


Chicão, que apitou o jogo, havia sinalizado a partida até os 49’, mas adicionou mais um aos descontos e o 1º tempo acabou em 1 a 1.


Segundo tempo

Com a desvantagem maior ainda, o Tricolor Alagoano retornou mais avançado e conseguiu a sua melhor chance na partida logo no primeiro minuto, quando Filipe André, sozinho na pequena área, chutou para fora após cruzamento rasteiro da esquerda. Os regatianos, que voltaram dos vestiários com o uniforme vermelho, continuaram vendo sua defesa sendo exigida em demasia nos primeiros 20 minutos.


Os tricolores chegaram com mais perigo em toda a etapa complementar, mas viu as suas chances de alcançar a final serem exterminadas aos 39’. Após cruzamento, Hyuri e apareceu entre a zaga para marcar, de cuca legal, o segundo do Galo.


Com a classificação regatiana praticamente selada, o Tricolor Alagoano se abateu em campo e só aguardou o apito final. Chicão esticou a partida até os 50 minutos, que chegou ao fim com a vitória alvirrubra por 2 a 1.


* Sob supervisão da editoria de Esportes.

Mais matérias
desta edição