app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Esportes

Conmebol escolhe Brasil para sediar Copa América

Após desistências de Colômbia e Argentina, torneio continental voltará a ser realizado em solo brasileiro após 2 anos

Por Agência Brasil e G1 | Edição do dia 01/06/2021 - Matéria atualizada em 01/06/2021 às 04h00

Na manhã dessa segunda-feira (31), a Conmebol confirmou através das redes sociais que a Copa América de 2021 será sediada pelo Brasil. O acordo foi firmado depois que a Argentina, através de um comunicado do Ministro do Interior daquele país, Wado de Pedro, confirmar que não teria condições de sediar o torneio pela piora da pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Com aproximadamente 45 milhões de habitantes, a Argentina já registrou mais de 3,6 milhões de casos da doença e 76 mil mortes causadas pelo vírus.

“A Copa América de 2021 será disputada no Brasil. As datas de início e finalização do torneio estão confirmadas. As sedes e a tabela serão informadas pela Conmebol nas próximas horas”, disse a Confederação Sul-Americana de Futebol no Twitter. Também na rede social, o presidente da entidade, Alejandro Domínguez, agradeceu ao presidente Jair Bolsonaro e à CBF por “sediar o torneio de seleções mais antigo do mundo”.

A Copa América ocorrerá entre os dias 13 de junho e 10 de julho, com dez seleções divididas em dois grupos. Argentina, Bolívia, Chile, Paraguai e Uruguai estão no Grupo A. Brasil, Colômbia, Equador, Peru e Venezuela formam o Grupo B.

Especialistas criticaram a disputa no Brasil e avaliaram que os riscos incluem o aumento de viagens no país, importação de novas variantes e aumento da taxa de contágio.

Marcelo Otsuka, infectologista e coordenador do Comitê de Infectologia Pediátrica da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), afirmou que neste momento não é ideal ter uma competição desse porte no país. “O Brasil tem um alto número de casos e ainda vive um platô de óbitos e números que ainda são alarmantes, próximos a duas mil mortes por dia”, lembrou.

O anúncio da disputa no Brasil causou reações dos governadores das cidades cotadas para receber o evento. Em meio à alta no número de casos de Covid-19, os Governos de Pernambuco, Rio Grande do Norte, Minas Gerais e Rio Grande do Sul vetaram a competição. Já São Paulo, Bahia, Mato Grosso e Amazonas se colocaram à disposição.

Mais matérias
desta edição