app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Esportes Rafael Tenório diz que verba de indenização pelos danos causados terá uso transparente

Rafael Tenório confirma que fica no CSA até dezembro

Presidente azulino garante transparência no uso do repasse de R$ 31 milhões da Braskem; clube teve que se mudar do Mutange

Por Raphael Alves e Rayssa Cavalcante | Edição do dia 15/09/2021 - Matéria atualizada em 14/09/2021 às 22h37

Rafael Tenório diz que verba de indenização pelos danos causados terá uso transparente

O presidente do CSA, Rafael Tenório, apresentou à imprensa e aos colaboradores do clube, na noite desta terça-feira (14), o repasse de verbas para a construção do novo CT azulino que, segundo ele, será usado de forma transparente. Ao todo, o clube recebeu R$ 31.280.000,00 em indenização da Braskem. O mandatário sairá do cargo de presidente do Azulão no dia 1º de dezembro, quando seu mandato chega ao fim, passando a bola para Omar Coelho, que deve ser eleito nos próximos 75 dias.

Durante cerca de 90 anos, o clube habitou o Mutange, agora, com a situação em que se encontra o bairro, vítima da exploração de sal-gema pela Braskem, o time teve que se mudar e, consequentemente, deixar o local que faz parte de um lindo capítulo da história do Azulão.

Diante do projeto do novo CT, Rafael Tenório se gabou, dizendo que era um visionário, um homem à frente do seu tempo. Conforme ele, alguns participantes de outra chapa das eleições para presidente do CSA disseram que o clube tem condições para construir uma arena, porém, ele afirmou que, com os R$ 23 milhões restantes, não há como construir o tão desejado CT. O presidente do clube garantiu, ainda, que o valor repassado pela Braskem será utilizado de forma transparente, sendo informado aos torcedores e a diretoria o emprego de cada real.

Em sua fala emocionada, Rafael Tenório fez um resgate histórico de como encontrou o clube. Segundo ele, havia um passivo financeiro enorme e uma cultura de tirar proveito do clube para fins pessoais. Rafael comentou também sobre outro candidato à presidência do Azulão. Ele alfinetou o advogado Marcelo Brabo, que, segundo ele, havia dito que na gestão de Tenório faltou planejamento. "Para discutir planejamento comigo é a mesma coisa que discutir com ele direitos eleitorais, eu não entendo nada, eu só sei votar. Nem ser votado eu sei. [...] Dizer que desde 2019 o CSA não vai no futebol? Eu fiz uma opção: ou eu quitava o passivo do clube ou endividava o clube para permanecer na Série A", frisou o mandatário azulino.

Ele destacou que, apesar de todos os desafios, conseguiu realizar grandes feitos à frente do Azulão." Em 2015, quando assumi o CSA, afirmei que tinha três objetivos: dar calendário ao clube, zerar o passivo trabalhista e transformar o CSA em S/A. Eu consegui realizar dois deles. Mas isso foi feito com planejamento, porque eu sou especialista nisso. Vou sair frustrado porque não consegui transformar o CSA numa S/A", afirmou Tenório.

DIDIRA CHEGOU

Novo reforço anunciado pelo clube azulino, Didira, que está de volta ao futebol alagoano e ao Azulão, chegou a Maceió e se apresentou nessa terça-feira (14), no CT do Nelsão. O jogador fez exames, inclusive os testes de Covid-19, e, nesta quarta-feira (15), deverá assinar seu contrato com o CSA.

* Sob supervisão da editoria de Esportes.

Mais matérias
desta edição