app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5714
Esportes

STJD coloca o Caxias na 1� Divis�o do Brasileiro-2002

Rio de Janeiro - O Superior Tribunal de Justiça Desportiva  (STJD) decidiu, por 6 votos a 2,  que o Figueirense perdeu os  pontos da partida disputada dia  22 de dezembro contra o Caxias, pela Série B do Campeonato Brasileiro. O time de Santa Catarina ven

Por | Edição do dia 13/04/2002 - Matéria atualizada em 13/04/2002 às 00h00

Rio de Janeiro - O Superior Tribunal de Justiça Desportiva  (STJD) decidiu, por 6 votos a 2,  que o Figueirense perdeu os  pontos da partida disputada dia  22 de dezembro contra o Caxias, pela Série B do Campeonato Brasileiro. O time de Santa Catarina vencia o jogo, por 1 a 0, em Florianópolis, quando, no fim do jogo, a torcida catarinense invadiu o gramado interrompendo a partida. Desta forma, o Caxias sobe para a Série A, enquanto o Figueirense segue na segunda divisão do futebol brasileiro. A 2a Comissão Disciplinar do Superior Tribunal de Justiça  Desportiva (STJD) julgou, dia 19 de março, improcedente o pedido de impugnação do jogo  entre Figueirense e Caxias. Os advogados do Caxias, Daniel Souza e Marco Aurélio Pachá, apresentaram gravações e uma fita de vídeo tentando provar que não havia condições de a partida ser reiniciada - ela foi interrompida aos 46 minutos do segundo tempo, quando o Figueirense vencia por 1 a 0 e garantia assim a classificação. As testemunhas do Caxias alegaram que o campo só foi esvaziado muito tempo depois da invasão da torcida catarinense e que o árbitro Alfredo dos Santos Loebeling teria dito, na oportunidade, que não havia condições de reiniciar o jogo - ainda faltavam dois minutos para o encerramento. Já o advogado do Figueirense, Mário Alberto Pucheau, exibiu um vídeo no auditório do Tribunal, mostrando que o campo estava vazio cerca de 12 minutos após a invasão e que os jogadores ficaram uniformizados na entrada dos vestiários. O comandante do policiamento do jogo, Áureo Sandro Cardoso, disse ter sido informado pela imprensa, e não pelo árbitro, que a partida estava cancelada. Ele garantiu que havia policiais suficientes para garantir o reinício da partida. Após os depoimentos, o presidente da comissão e relator do processo, Sérgio Resende, deu início à votação e o Figueirense venceu por três a um. Com isso, o resultado da partida, 1 a 0 para a equipe catarinense, fora mantido.

Mais matérias
desta edição