app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Esportes Imagens flagram momentos de hostilidade e apreensão durante o confronto entre pernambucanos e alagoanos

Torcedores relatam brigas em duelo entre Náutico e CSA

Adeptos alvirrubros e azulinos foram vítimas de algumas ações de violência

Por Guilherme Magalhães | Edição do dia 21/05/2022 - Matéria atualizada em 20/05/2022 às 18h09

O embate entre Náutico e CSA, na noite dessa quinta-feira (19), pela Série B do Brasileiro, não ficou apenas dentro do campo. Além do resultado de 1 a 1, nos Aflitos, diversas confusões foram relatadas, dentro e fora do estádio, pelos próprios torcedores.

Inclusive, o torcedor do Náutico Bruno Campos, presente nos Aflitos durante a confusão, relatou ter sido atingido por uma pedra na cabeça. O adepto do alvirrubro mostrou fotografias do estado de sua camisa e afirmou que por pouco não houve uma tragédia.

Em suas palavras, ele disse, via Twitter: "Boa noite, gente. Eu fui o torcedor que foi atingido na cabeça pela pedra e, graças a Deus, está tudo bem. Era pra ser uma noite especial pra mim, de reencontro com meu pai e realizar a coisa que nos sempre uniu muito: ver jogos do Náutico. Por pouco não foi uma tragédia".

E completou: "Eu sofri essa violência fazendo o que eu mais amo no mundo, e isso me deixa muito triste e revoltado, é um sentimento de decepção".

Por outro lado, torcedores do CSA, integrantes da torcida organizada Mancha Azul também ponderaram sobre o ocorrido. Um dos torcedores presentes no estádio, que não quis se identificar, contou à Gazeta de Alagoas que integrantes de uma torcida do Santa Cruz, a Inferno Coral, jogaram uma bomba caseira no meio da torcida e daí iniciou-se uma correria.

"Jogaram uma bomba caseira no meio da torcida e começou a correria, começaram a jogar pedra para dentro do estádio. Quem jogou foi a torcida do Santa Cruz, porque a torcida do CSA não sabia onde ficava a torcida", relatou o torcedor.

Em outro vídeo, é possível ouvir sons muito fortes de bombas sendo acionadas, bem próximas da Mancha Azul, que caminhava para o Estádio dos Aflitos. Segundo o torcedor azulino, alguns integrantes da Inferno Coral, que é uma das organizadas mais famosas do Santinha, adentraram ao estádio.

"Só quem entrou no jogo foi a Mancha e alguns da Inferno [Coral], poucos, que tinham ingresso. Quem estava assistindo ao jogo pela TV, o SporTV falou sobre as pedras e primeiro falou que tinha sido a torcida do CSA. Depois corrigiram, dizendo que as pedras foram jogadas pela torcida do Santa Cruz, que ficou do lado de fora", contou.

A polêmica foi forte, especialmente nas redes sociais. Segundo as informações colhidas pela Gazeta de Alagoas, o torcedor do Santa Cruz Tiago Henrique Ramos de Araújo foi atingido por uma das bombas, na face, e precisou passar por uma cirurgia.

A Polícia Militar de Pernambuco soltou uma nota sobre o ocorrido, informado que trabalhou nos acontecimentos, tanto na parte externa, quanto na interna dos Aflitos. A PM ainda contou que nenhuma pessoa foi presa, até o momento.

* Sob supervisão da editoria de Esportes.

Mais matérias
desta edição