app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5714
Esportes A camisa 9 da Seleção Brasileira é dele! Richarlison marcou duas vezes na vitória sobre a Sérvia, na quinta (24)

Richarlison: mais gols do que jogos na Seleção

Atacante foi a grade estrela da vitória do Brasil contra a Sérvia

Por Lance! | Edição do dia 26/11/2022 - Matéria atualizada em 26/11/2022 às 04h00

Não há dúvidas de que o principal destaque da Seleção Brasileira na vitória por 2 a 0 sobre a Sérvia foi Richarlison. Apesar de boa atuação coletiva na estreia na Copa do Mundo do Catar, os dois gols do atacante, sendo um deles um golaço, interferem diretamente nessa avaliação. E muito disso se deve a uma mística que ele tem com a camisa 9 do Brasil. Com ela, ele tem mais tentos do que partidas realizadas até aqui.

A primeira vez que o “Pombo” vestiu a “9” da Seleção Brasileira foi em setembro de 2018 e logo de cara meteu dois gols diante de El Salvador, em amistoso pós-Copa do Mundo da Rússia. Naquele dia ele já mostrava que o número cairia muito bem para ele.

De lá para cá a conta somente aumentou. Ao todo, são nove jogos vestindo a camisa 9 e 11 gols marcados. Em apenas duas dessas partidas ele saiu de campo sem balançar a rede: na derrota por 1 a 0 para o Peru, em 2019, e na vitória sobre o Japão, por 1 a 0, em junho deste ano. Detalhe: ele assumiu esse número efetivamente apenas em 2022.

Em setembro deste ano, após o amistoso contra Gana, quando marcou dois gols na vitória por 3 a 0, Richarlison falou de suas mística com a camisa 9 da Seleção. Naquele momento, ele já carimbava seu passaporte para a disputa da Copa do Mundo do Catar.

“Sou um cara que quando chego na Seleção faço bastante gol. Estou vestindo a camisa 9 hoje e toda vez que visto ela, eu meto gol. Espero continuar assim. Continuar trabalhando forte, aproveitar as oportunidades do professor e fazer meus gols”, disse

Chegou a Copa e ele mostrou que, de fato, sua relação com a camisa 9 da Seleção é de outro mundo. Em um jogo difícil contra a Sérvia, foram dele os dois gols que deram a vitória para o Brasil: um de muito oportunismo, como um puro centroavante, e outro de rara genialidade, ao ajeitar um passe de Vini Jr. e armar um voleio para o gol

Mais matérias
desta edição