app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5715
Esportes Omar Coêlho vinha sendo pressionado por torcedores e conselheiros para deixar a presidência do CSA

Em carta renúncia, Coêlho oficializa sua saída do CSA

Ele já havia revelado o seu desejo de renunciar ao cargo de presidente do clube

Por Rogério Costa e Fernanda Medeiros | Edição do dia 03/12/2022 - Matéria atualizada em 03/12/2022 às 04h00

Desde essa quinta-feira (1), o presidente do CSA, Omar Coêlho, já havia revelado o seu desejo de renunciar ao cargo de presidente do clube, insatisfeito com as cobranças decorrentes da má campanha realizada neste ano e que resultou na queda do clube para a Série C de 2023.

Durante sua gestão, com resultados completamente abaixo das expectativas dos azulinos, Omar Coêlho vinha sendo pressionado por torcedores e conselheiros para deixar a presidência.

Diante disso, nessa sexta-feira (2), a renúncia do mandatário azulino se concretizou. Ele emitiu uma carta renúncia ao Conselho Deliberativo, onde afirmou, lamentando: "Não tive um dia de sossego, havia sempre um movimento constante e contrário às ações da direção, trazendo sempre instabilidade para aqueles que desejassem investir. Chegado à presidência do time do meu coração, apesar de uma campanha sórdida, mas com meu espírito sempre conciliador, pensei ser possível superar. Ledo engano".

A carta oficializada pelo agora ex-presidente Omar Coêlho circulou em grupos nas redes sociais e foi enviada também à Gazeta de Alagoas.

Em contato com o ge/al,  Coêlho informou que, além dele, toda a diretoria deixa o clube. Assim, saem também o vice-presidente executivo (Walmar Peixoto), o superintendente administrativo (Gilson Romeiro) e o superintendente de esportes (Lumário Rodrigues).

Depois do anúncio oficial da saída de Omar Coêlho, o CSA marcou uma coletiva para este sábado, às 11 horas, no CT Nelson Feijó, com as presenças da presidente em exercício e do presidente licenciado do Conselho, Mirian Monte e Rafael Tenório, respectivamente.

Sobre a carta renúncia, Míriam Monte disse que ainda não tinha recebido o documento e que é preciso serenidade neste momento. “A situação é muito difícil e temos que ter prudência", disse. Ao ge/al, inclusive, ela afirmou: “O primeiro passo será tentar realizar um diagnóstico da real situação financeira e orçamentária do clube, trazer para o Conselho Deliberativo, informar ao público e iniciar o procedimento para novas eleições”. 

* Sob supervisão da editoria de Esportes.

Mais matérias
desta edição