app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5715
Esportes Maior jogador de todos os tempos, Edson Arantes do Nascimento, o Rei Pelé, faleceu nessa quinta-feira (29), aos 82 anos, após exatamente um mês internado no Hospital Albert Einstein

Luto! Pelé morre aos 82 anos por complicações do câncer no cólon

Edson Arantes do Nascimento faleceu nessa quinta-feira (29), após um mês internado em São Paulo

Por Gazeta Esportiva | Edição do dia 30/12/2022 - Matéria atualizada em 30/12/2022 às 07h54

/Maior jogador de todos os tempos, Edson Arantes do Nascimento, o Rei Pelé, faleceu nessa quinta-feira (29), aos 82 anos, após exatamente um mês internado no Hospital Albert Einstein

O maior jogador de todos os tempos, Edson Arantes do Nascimento, o Rei Pelé, faleceu nessa quinta-feira (29), aos 82 anos, após exatamente um mês internado no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, por conta de complicações decorrentes de um câncer no cólon, descoberto em 2021.

O último boletim médico divulgado na quarta-feira da semana passada informava que o quadro havia tido progressão, com necessidade de maiores cuidados relacionados às disfunções renal e cardíaca.

“Internado desde 29 de novembro para uma reavaliação da terapia quimioterápica para tumor de cólon e tratamento de uma infecção respiratória, Edson Arantes do Nascimento apresenta progressão da doença oncológica e requer maiores cuidados relacionados às disfunções renal e cardíaca. O paciente segue internado em quarto comum, sob os cuidados necessários da equipe médica”, escreveu o hospital no boletim.

Diante disso, Kely Nascimento, uma das filhas do ex-jogador, informou que Pelé, em comum acordo entre família e médicos, passaria o Natal internado. No entanto, nessa quinta, veio a notícia da morte do Rei.

No final de dezembro de 2021, Pelé havia ficado dois dias internado no mesmo hospital. Ele lutava contra o tumor desde setembro do mesmo ano, quando passou por cirurgia para sua retirada.

Nascido em Três Corações-MG, Edson Arantes do Nascimento teve suas primeiras oportunidades no futebol na cidade de Bauru, interior de São Paulo. O ex-jogador passou pelo Ameriquinha e pelo Bauru Atlético Clube antes de chegar ao Santos, em 1956.

Pelé tornou-se o maior ídolo e artilheiro da história do Santos, marcando época em um dos times mais vitoriosos do esporte. Ao lado de Pepe, Dorval, Coutinho e Mengálvio, conquistou seis Brasileirões, duas Copas Libertadores, dois Mundiais e dez Estaduais, consagrando a “camisa 10” do Peixe.

Além do Santos, Pelé colocou seu nome na história ao vestir a camisa da Seleção Brasileira. Com a amarelinha, conquistou três Copas do Mundo, em 1958, 62 e 70. Além disso, acumula diversos feitos individuais: o maior artilheiro do Brasil, com 77 gols, ao lado de Neymar, que atingiu o feito na Copa do Catar; o jogador mais jovem a marcar um gol em Copa e o atleta com mais tentos anotados em uma final de Copa do Mundo, balançando a rede três vezes.

Em sua carreira, foram 1283 gols marcados em 1366 jogos disputados, tendo uma média de 0,94 tentos por jogo. Pelé foi reconhecido não apenas pelos gols ou títulos conquistados, mas pela maneira encantadora que se apresentava com a bola nos pés. Após se aposentar no futebol brasileiro, Pelé se despediu do esporte com a camisa do New York Cosmos, com um contrato que explorava comercialmente a imagem do atleta.

Mesmo depois de sua aposentadoria, ele seguiu sendo reconhecido como um ícone mundial, participando de novelas, filmes, jogos eletrônicos e se arriscando na música.

“Perguntem a qualquer zebra de Jardim Zoológico: ‘Qual é o maior jogador do mundo?’. Todas as zebras dirão, numa cálida unanimidade: ‘Pelé’. Do esquimó ao chinês, do russo ao alemão, do patagônio ao egípcio, todos acham que Pelé realmente é o grande craque do presente, do passado e do futuro”, escreveu Nelson Rodrigues, grande escritor brasileiro.

Mais matérias
desta edição