app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5756
Esportes

Alagoana disputa Mundial J�nior de p�lo aqu�tico

ABIDES DE OLIVEIRA A alagoana Yasmin Ribeiro Queiroz, 16, disputa, a partir de amanhã, o 6º Campeonato Mundial Júnior de Pólo Aquático Feminino, na cidade australiana de Peth. A estréia não será nada fácil, o Brasil enfrenta a dona da casa, a Austrália.

Por | Edição do dia 23/01/2005 - Matéria atualizada em 23/01/2005 às 00h00

ABIDES DE OLIVEIRA A alagoana Yasmin Ribeiro Queiroz, 16, disputa, a partir de amanhã, o 6º Campeonato Mundial Júnior de Pólo Aquático Feminino, na cidade australiana de Peth. A estréia não será nada fácil, o Brasil enfrenta a dona da casa, a Austrália. Apontada, atualmente, co-mo uma das grandes promessas do pólo aquático brasileiro, Yasmin foi revelada no Colégio Marista, pelo técnico Gilson Santos. Essa é a segunda vez que a atleta chega à seleção brasileira. Em julho do ano passado, a alagoana conquistou, pelo Brasil, a medalha de bronze no Campeonato Pan-Americano Júnior, vencido pelos Estados Unidos. A terceira colocação garantiu a seleção brasileira no Mundial da Austrália. Yasmin foi um dos destaques do time brasileiro, assinalando vários gols. No mês de novembro do ano passado, Yasmin e as gêmeas alagoanas Isabella e Daniella de Grandi (também reveladas no Colégio Marista) foram pré-convocadas, junto com outras 20 atletas, pelo técnico cubano Frank Diaz para a preparação visando ao Campeonato Mundial Júnior. No início deste mês, o treinador escolheu as 13 que iriam para a Austrália, e apenas Yasmin foi confirmada na seleção brasileira. “Yasmin é motivo de orgulho para Alagoas. Teve um bom desempenho no Pan-America-no e agora está no Mundial. Ela vem crescendo e acredito que brigará por uma vaga na seleção brasileira, que vai disputar o Pan de 2007 (no Rio de Janeiro). As irmãs Isabella e Daniella devem chegar, este ano, à seleção júnior”, avaliou Gilson San-tos, que acredita no surgimento de novos talentos no pólo aquá-tico alagoano em 2005. Longe de casa A jogadora está em São Paulo desde 2003, onde joga pelo time do Paulistano. Na capital paulista, a alagoana mora com seus avôs. Os pais ficaram em Maceió. No clube paulista, Yasmin obteve reconhecimento nacional e chegou a ser artilheira no Campeonato Brasileiro Júnior de 2004, quando marcou 13 gols pelo Paulistano, terceiro colocado no Nacional. Na época, a jogadora se disse surpresa. “Deve ter algo errado. A artilheira não pode ter sido eu. Não costumo contar meus gols e por isso não sei direito quantos gols fiz, ainda não estou acreditando”, afirmou. O jornalista Eduardo Vieira, especialista em pólo aquático e que publica uma coluna em um site sobre o esporte (o poloaquatico.com.br), afirma que a alagoana tem talento e tudo para ser uma das grandes forças do pólo feminino. Eduardo lançou, este mês, o livro “Pólo Aquático Feminino no Brasil”, onde Yasmin é uma das personagens da edição. Além disso, a jogadora foi escolhida a melhor atleta do ano na modalidade pelo site poloaquatico. Para o técnico da seleção brasileira adulta feminina, Lyns Cardenuto, a alagoana tem determinação, personalidade e ra-ça. “Ela tem tudo para chegar à seleção brasileira. Se não for no Pan de 2007, no próximo a jogadora estará. Mas muita coisa pode mudar daqui a dois anos”, comenta o treinador. No Mundial da Austrália, o Brasil vai estar no grupo B. Depois das australianas, as brasileiras enfrentam a Espanha e terminam a primeira fase jogando contra a Itália. Na competição anterior, no Canadá, em 2003, o Brasil terminou em oitavo lugar.

Mais matérias
desta edição