app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5655
Esportes Complexo Gustavo Paiva recebe torcedores a partir das 7 horas desta quinta-feira (7)

CSA comemora 110 anos em meio à crise e futuro de incertezas

Com elenco de férias, Azulão fará comemoração simples no Complexo Gustavo Paiva, com a presença de sócios torcedores, nesta quinta (7)

Por Fernanda Medeiros e Guilherme Nobre | Edição do dia 07/09/2023 - Matéria atualizada em 07/09/2023 às 04h00

Viver por 100 anos já é muita coisa, agora imagina por 110. E o CSA comemora esta idade nova nesta quinta (7). Apesar de estar vivendo um momento conturbado dentro dos bastidores, a equipe azulina tirará este dia para estar ao lado de sua torcida.

E há toda uma comemoração programada, lá no Complexo Gustavo Paiva, na parte alta de Maceió. Além da tradicional missa em ação de graças, haverá futebol recreativo, presença de conselheiros e até o bolo de aniversário.

Quem tem presença confirmada é a vice-presidente Mírian Monte. Emocionada com o aniversário do time de coração, a dirigente conversou com a Gazeta de Alagoas e relembrou a marcante história azulina.

E ela ainda ressaltou a importância da equipe para com a sua torcida. "O CSA é, em sua essência, um clube vitorioso e que faz parte da identidade do povo alagoano. O CSA mobiliza, há 110 anos, multidões, revela talentos tanto no futebol, como em outras áreas. Quantos músicos, poetas, compositores já expressaram esse amor azul e branco, por exemplo? Não tenho como mensurar. O CSA é cultura, o CSA é paixão e essa data merece ser celebrada", destacou.

A Gazeta também conversou com o presidente do Conselho Deliberativo azulino, Christiano Beltrão. Ele ressaltou que falar sobre os 110 anos do clube é motivo de orgulho. “O que dizer? É motivo de muito orgulho e de emoção. É o maior clube do futebol alagoano, um dos maiores do Nordeste, com tantas conquistas e tantas glórias”, disse.

Ele reconhece que o Azulão não passa por um bom momento no futebol, mas que todos torcem para que esta fase ruim passe o mais rápido possível. “É verdade que o CSA não passa por um momento muito bom dentro do futebol, está meio turbulento fora, mas a gente imagina e torce para que neste momento prevaleçam esta união e esta força por este clube”.

Além de considerar motivo de orgulho, Beltrão revelou que até já passou este sentimento para os filhos. “Tive a felicidade de passar para os meus filhos e já estou passando para os meus netos, para as minhas netinhas. Então, isso é a importância de ser CSA. Sempre acreditar nele e não desistir jamais”, destacou.

Beltrão respondeu que espera muito trabalho daqui para a frente. E, dentro deste trabalho, revelou que está em busca de unir os vários azulinos que se encontram afastados do clube.

“Estou tentando, fazendo como nunca, a união entre todos os azulinos, conselheiros e ex-dirigentes. Já conversei com o Augusto Farias, já marquei para conversar com o Marcelo Brabo, o Álvaro Mendonça, o Ricardo Omena, o Ib Breda, o dr. Élcio, o Robson Rodas, entre outros”.

Procurado pela reportagem para falar sobre a data comemorativa do Azulão, o presidente Rafael Tenório preferiu não se pronunciar. “Converse com a Mírian (Monte), eu prefiro não opinar”, disse.

* Sob supervisão da editoria de Esportes.

Mais matérias
desta edição