app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Esportes Junior Beltrão discutiu sobre o que espera da temporada 2024 em Alagoas

Futebol alagoano terá 11 torneios e mais de 400 jogos em 2024

Vice-presidente da Federação Alagoana de Futebol (FAF), Junior Beltrão contou alguns detalhes do planejamento

Por Guilherme Nobre | Edição do dia 14/12/2023 - Matéria atualizada em 14/12/2023 às 04h00

O ano de 2024 está batendo na porta dos times alagoanos. Nessa quarta-feira (13), o vice-presidente da Federação Alagoana de Futebol (FAF), Junior Beltrão, concedeu entrevista exclusiva ao Bola Quente, na Gazeta 94.1 FM e falou sobre o futuro do futebol local.

Na próxima temporada, a maior novidade é que haverá um acréscimo no número de competições. O calendário futebolístico local passará a ter 11 torneios, sendo que a maioria deles será para as categorias de base.

"Vamos organizar 11 competições, entre profissionais e amadoras. Três novidades para próxima temporada: Copa Alagoas Sub-20, Copa Alagoas Sub-17 Feminino e o Campeonato Alagoano Sub-13, que no ano que vem deve sair do papel".

Sendo assim, a entidade visa mais de 400 jogos realizados no ano que vem. Porém, ainda há diversos problemas que precisam ser contornados.

"O financeiro é o primeiro desafio de todos. A parte da logística, a gente sofre muito, com a quantidade de jogos que fazemos, principalmente para termos de árbitros. Antigamente tínhamos uma quantidade maior de árbitros".

Em relação ao Alagoano 2024, a Federação segue realizando todos os trabalhos nos bastidores. Em um primeiro momento, estão sendo feitas as vistorias nos estádios.

"Com relação a parte de estádios, a gente vem mudando. Já tem três anos que a gente vem em uma parceria com uma empresa, que faz recuperação dos gramados. Esse ano, o campo de Murici nunca esteve tão bonito. Já estivemos em Murici, Coruripe, estamos em Arapiraca e ainda vamos para Palmeira [dos Índios] e Penedo. Esse trabalho é tudo fruto do investimento da Federação, mais de R$ 130 mil".

E a parte financeira é tema de debate dentro da FAF, que ajuda a maioria dos clubes custeando boa parte das despesas em dias de partidas.

"Só de amador, o custo estimado para a próxima temporada é de R$ 870 mil. O profissional tem uma conta mais complexa. De cara, você tem R$ 2 milhões só de cotas. A gente decidiu pôr um limite na quantidade de jogos, começamos a traçar nossos planos dessa forma".

CASO EDNALDO

Nos últimos dias, a saída de Ednaldo Rodrigues da presidência da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) chamou atenção. O dirigente deixou o cargo por via judicial e gerou alguns debates.

Um dos opositores de Ednaldo é o conhecido Gustavo Feijó, pai de Felipe Feijó, atual presidente da FAF. No entanto, Junior Beltrão disse que nada sobre esse assunto foi discutido.

"A gente está tentando entender todo esse processo. Tudo isso aconteceu em virtude de uma ação que o Gustavo [Feijó] entrou. Ele se sentiu prejudicado por toda a situação. Mas a gente não conversou sobre isso. Nesta semana, vamos conversar e entender o cenário".

* Sob supervisão da editoria de Esportes.

Mais matérias
desta edição