app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5717
Esportes

Campeonato do Nordeste

Salvador - O maior clássico do futebol baiano começa a decidir o Campeonato do Nordeste, tendo como atrações dois atacantes importados. Bahia e Vitória fazem, neste domingo, às 16 horas, no Estádio da Fonte Nova, a primeira partida final do campeonato reg

Por | Edição do dia 05/05/2002 - Matéria atualizada em 05/05/2002 às 00h00

Salvador - O maior clássico do futebol baiano começa a decidir o Campeonato do Nordeste, tendo como atrações dois atacantes importados. Bahia e Vitória fazem, neste domingo, às 16 horas, no Estádio da Fonte Nova, a primeira partida final do campeonato regional e as estrelas são o pernambucano Sérgio Alves e o colombiano Aristizábal. Protagonistas da festa bairrista da decisão nordestina, os dois principais artilheiros da competição prometem apimentar ainda mais a rivalidade tradicional entre os dois times. Líder isolado entre os go-leadores do Nordestão, com 12 gols, Sérgio Alves é a esperança da torcida tricolor. Depois de temporadas sucessivas fazendo fama em clubes nordestinos, Sport, ABC e Ceará, entre eles, o atacante chegou ao Bahia cercado por nuvens de expectativas. Em 2001, Sérgio Alves tinha sido o maior artilheiro do Brasil, com 55 gols na temporada. Em pouco tempo no Bahia, o jogador correspondeu, chegou ao posto de artilheiro e virou ídolo da torcida. Alves foi autor de um dos gols mais bonitos do Nordestão, de bicicleta, na Fonte Nova, contra o Fortaleza. História A história de amor entre os torcedores do Vitória e Aristizábal é semelhante. O colombiano chegou ao clube no início do campeonato prometendo gols. Em poucos jogos, a promessa virou realidade e Ari, como foi apelidado pelos baianos, alcançou a vice-artilharia do Nordestão: 11 gols. Para o jogo deste domingo, o falastrão Aristizábal optou pela economia nas declarações demasiadamente otimistas. “Neste momento o importante é a vitória do time. Mas acho que o campeão vai fazer o artilheiro”, aposta o colombiano, que concorre diretamente com Sérgio Alves pela primazia em bolas na rede. Para impedir a alegria do forasteiro Aristizábal e do ataque mais positivo da competição (42 gols), o Bahia vai ter uma defesa composta por legítima prata-da-casa. Os zagueiros Valdomiro e Accioly e os laterais Mantena e Chiquinho foram revelados nas divisões de base do clube e representam a nova geração do clássico. Por ter feito melhor campanha, o Vitória atua por dois resultados iguais. Bahia: Émerson; Mantena, Valdomiro, Ac-cioly e Chiquinho; Ramalho, Bebeto, Preto e Sérgio  Alves; Nonato e Róbson. Vitória: Paulo Musse; Maurício, Marcelo Heleno,  Índio e Leandro; Xavier,  Fernando, Allan Delon e  Samir; Róbson Luís e Aristizábal.

Mais matérias
desta edição