app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5713
Esportes

Feij�o e farinha

São Paulo - Não é por causa da comida que a Seleção Brasileira vai deixar de fazer uma boa campanha na Copa do Mundo. A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) vai enviar 140 quilos de feijão e farinha, entre outros alimentos, para que os jogadores não t

Por | Edição do dia 10/05/2002 - Matéria atualizada em 10/05/2002 às 00h00

São Paulo - Não é por causa da comida que a Seleção Brasileira vai deixar de fazer uma boa campanha na Copa do Mundo. A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) vai enviar 140 quilos de feijão e farinha, entre outros alimentos, para que os jogadores não tenham seus hábitos alimentares alterados durante a competição. Além disso, serão levadas 1.000 camisas para jogos e treinos, 130 camisas de goleiro e 150 bolas. O supervisor Américo Faria explicou que, de acordo com a cartilha elaborada pela comissão técnica, os jogadores só poderão falar nos celulares das 13 às 15 h e das 20 às 22 h. Os convocados receberão esta instrução para repassar aos familiares, para que seja evitado um desgaste durante o período de concentração na Coréia e Japão. Visto O Senado aprovou Decreto Legislativo que isenta de visto os brasileiros que forem à Copa do Mundo na Coréia do Sul. O decreto faz parte de um acordo bilateral, firmado pelos governos do Brasil e da Coréia, em Seul, em janeiro de 2001, e “‘reflete o anseio dos dois países em intensificar suas relações culturais”, segundo parecer favorável, apresentado pelo Ministério das Relações Exteriores. O relator do projeto, senador Geraldo Melo (PSDB-RN), disse que o acordo com a Coréia do Sul é importante “como potência tecnológica emergente, destino de muitas visitas de grupos de estudo e pesquisas”. Os sul-coreanos que visitarem o Brasil também estarão isentos de visto, tão logo o Diário do Congresso publique a matéria. Para entrar no Japão, país co-anfitrião do Mundial, os brasileiros precisam de visto.

Mais matérias
desta edição