app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5730
Esportes

Convoca��o de juniores gera mal-estar

| FERNANDA MEDEIROS E WELLINGTON SANTOS Repórteres A boa campanha do CSA na Copa Alagoas Sub-20 não foi suficiente para evitar o mal-estar que estourou no último fim de semana, nos bastidores do futebol amador e profissional do clube. O imbróglio começo

Por | Edição do dia 13/12/2005 - Matéria atualizada em 13/12/2005 às 00h00

| FERNANDA MEDEIROS E WELLINGTON SANTOS Repórteres A boa campanha do CSA na Copa Alagoas Sub-20 não foi suficiente para evitar o mal-estar que estourou no último fim de semana, nos bastidores do futebol amador e profissional do clube. O imbróglio começou após o anúncio de que jogadores do time juniores - terceiro colocado na Copa Alagoas - seriam incorporados ao time profissional, que faz a pré-temporada visando ao Campeonato Alagoano 2006, em São Miguel dos Campos. Até aí tudo bem. Mas a situação se complicou quando veio a informação de que o goleiro Thiago, reserva do time na Copa Sub-20, se juntaria ao grupo profissional, enquanto o goleiro titular, Márcio, um dos destaques na competição, teria sido preterido pela comissão técnica do profissional. O fato causou estranheza por parte da imprensa e do próprio técnico da equipe júnior azulina, Carlinhos Marechal. “Isso realmente me deixou surpreso, não que o Thiago não tenha potencial para ser o terceiro goleiro, mas não fui consultado pelo pessoal do profissional sobre essa questão, já que o Márcio foi o nosso goleiro na Copa”, disse Marechal. “O que me preocupa agora é como a gente vai trabalhar a cabeça do Márcio”, acrescentou. Segundo fontes de dentro do CSA, a convocação de Thiago, bem como a do zagueiro Da Silva, que também está no grupo de profissionais, teria ocorrido porque ambos pertenceriam ao diretor de Futebol azulino, Carlos Alberto Andrade. “Isso não é verdade. Os dois jogadores são do Independente, mas foram desligados e, agora, têm contrato com o CSA. Eles não pertencem a mim. Tudo que estão falando não passa de fofoca. Partiu de gente que não vive o dia-a-dia do CSA”, afirmou o dirigente azulino. De acordo com ele, o goleiro Thiago foi escolhido pelo treinador de goleiros Carlos Coelho, por ter uma estatura maior (1,85m) do que o titular Márcio. Questionado se esse problema causou algum tipo de desentendimento entre ele e Marechal, Andrade garantiu que não. “O Carlinhos ficou chateado porque não foi consultado, mas achamos que não era preciso, pois quando um jogador estoura idade já vai direto para o profissional”. Marechal também afirmou que não ficaram seqüelas entre ambos. “O meu relacionamento com a comissão técnica e com o Carlos Alberto sempre foi melhor possível”, afirmou. Ele revelou, porém, que parte da comissão técnica do profissional não acompanhou a maioria dos jogos do CSA na Copa Alagoas. Juvenil Outro problema que surgiu no amador do CSA foi com o time juvenil. A equipe estava participando de uma competição em Santa Luzia do Norte, mas no sábado não viajou para o jogo porque não tinha transporte. “Falei para o vice de futebol amador anterior, Elmo Dorta, que iria tirar o CSA desse torneio, pois estávamos sem tempo de acompanhar por causa da Copa Alagoas. Mas ele disse que assumiria tudo. Só que não o fez. Para mim, ele quis prejudicar o nosso trabalho”, disse o vice amador, José Francisco, o Zequinha. Já Elmo disse que o ônibus não foi buscar os atletas porque houve uma falha de comunicação entre os dirigentes. “Um ficou esperando pelo outro”, afirmou.

Mais matérias
desta edição