app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5730
Esportes

Festa com tricamp�es p�ra S�o Paulo

| DA EDITORIA DE ESPORTES Foram aproximadamente dez horas de festa pelo tricampeonato mundial. Desde que desembarcaram no aeroporto internacional de Cumbica, os jogadores do São Paulo passaram por uma maratona em cima de trios elétricos para saudar os to

Por | Edição do dia 21/12/2005 - Matéria atualizada em 21/12/2005 às 00h00

| DA EDITORIA DE ESPORTES Foram aproximadamente dez horas de festa pelo tricampeonato mundial. Desde que desembarcaram no aeroporto internacional de Cumbica, os jogadores do São Paulo passaram por uma maratona em cima de trios elétricos para saudar os torcedores que lotaram as ruas da capital. O destino final foi o Morumbi, onde foram recepcionados por aproximadamente 15 mil torcedores. No estádio, eles ficaram por cerca de 30 minutos, subiram em um pódio para receber o troféu e deram a volta olímpica. Os mais ovacionados foram o goleiro Rogério, o zagueiro Lugano e o atacante Amoroso. A demora para chegar ao Morumbi aconteceu por causa da multidão que festejava no percurso que levou os jogadores, que foram acompanhados por carros e torcedores a pé. Desde que saiu de Guarulhos, a comitiva passou pela Via Dutra, Marginal Tietê, Prefeitura Municipal e Palácio dos Bandeirantes (sede do governo estadual). No palácio, os jogadores foram recebidos pelo governador do Estado, Geraldo Alckmin. Em uma breve cerimônia, que também contou com a participação do ex-governador e ex-presidente do clube Laudo Natel, Alckmin concedeu a honra de mérito esportivo ao clube tricolor e prometeu que uma das estações da linha do metrô que vai percorrer a avenida Francisco Morato, na zona oeste, se chamará São Paulo/Morumbi. A recepção da torcida impressionou os jogadores pela multidão que se formou nas ruas da capital. “Não esperava tanta gente e, quando acontecem coisas grandiosas como essa, você repensa muitas coisas”, disse o zagueiro Diego Lugano. Caixa recorde Campeão Mundial de Clubes anteontem no Japão, o São Paulo transformou seu sucesso nos gramados em recorde de receitas: ultrapassará pela primeira vez a barreira de R$ 100 milhões no balanço de 2005. Até novembro, o balancete totalizava R$ 90 milhões. Só com a premiação do Mundial - US$ 4,5 milhões (R$ 10,3 milhões)- a marca já foi superada. Esse valor representa o dobro do que o clube ganhou em 2001, último ano antes da gestão do atual presidente, Marcelo Portugal Gouvêa. Até hoje clubes brasileiros só tinham superado esse patamar com a ajuda de parceiros, como o Flamengo/ISL e o Corinthians/MSI. ### Parreira descarta Rogério na seleção FOLHA ONLINE O técnico da seleção brasileira, Carlos Alberto Parreira, deu a entender ontem que não deve levar o goleiro Rogério Ceni, destaque do São Paulo na conquista do Mundial de Clubes, para a Copa 2006. “Para a Copa, é preciso apenas um goleiro experiente. Fiz uma análise de Copas anteriores e vi que, em geral, se usa só um goleiro na competição. Não existe nada pessoal entre o Parreira e o Rogério. Se ele não foi convocado mais vezes foi apenas por opção técnica, nada mais do que isso”, disse o treinador, em entrevista à TV Globo. Dida, do Milan, tem sido o goleiro titular de Parreira. Os escolhidos para reserva e terceiro goleiro devem ser, seguindo as últimas convocações, Gomez (PSV) e Júlio César (Inter de Milão). Marcos (Palmeiras) e Rogério brigam por vaga. “O Rogério já é um velho conhecido, já esteve em Copa do mundo, não é um jogador jovem, que surgiu agora. Ele é superexperiente. O que temos que equacionar é se vale a pena levar três goleiros experientes, ou dois experientes e mais um jovem”, disse Parreira. Logo após a vitória por 1 a 0 sobre o Liverpool, em que fez três defesas essenciais para a conquista do título, o goleiro são-paulino evitou falar sobre expectativas de convocação, mas não descartou voltar a defender o Brasil. Mundial de Clubes A Fifa estuda a possibilidade de incluir como convidado o atual campeão, São Paulo, na disputa de 2006, que ocorrerá também no Japão, de 10 a 17 de dezembro. A intenção é tornar a disputa mais atrativa. A competição deste ano não conseguiu emplacar no país asiático, apesar da presença dos times do São Paulo e Liverpool. Nenhum jogo, nem mesmo a final, teve estádio lotado.

Mais matérias
desta edição