app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5733
Esportes

Clubes do Rio sofrem para contratar

| AGÊNCIA ESTADO Rio de Janeiro- Nos últimos anos, final e início de temporada significa, para os quatro principais clubes cariocas, o momento de sonhar com grandes contratações e, posteriormente, cair na realidade da caótica situação financeira e presen

Por | Edição do dia 27/12/2005 - Matéria atualizada em 27/12/2005 às 00h00

| AGÊNCIA ESTADO Rio de Janeiro- Nos últimos anos, final e início de temporada significa, para os quatro principais clubes cariocas, o momento de sonhar com grandes contratações e, posteriormente, cair na realidade da caótica situação financeira e presentear os torcedores com jogadores de pouca expressão no cenário do futebol. Neste ano, por exemplo, já se cogitou a possibilidade do meia Diego (Porto) no Flamengo, do meia Pedrinho (Al Ittihad) no Fluminense, do atacante Deivid (Sporting) no Botafogo e até o retorno de Marques (Atlético-MG) ao Vasco. Mas, até agora, nenhum deles veio. O Flamengo é o clube que mais promete a seus torcedores e pouco cumpre. Com o atraso do pagamento de dois meses de salários, além do 13º, se os reforços cogitados realmente viessem, o clube teria um time imbatível para 2006. Em seu elenco estariam Diego, ex-Santos, o meia Alex, do Fernerbahce, e o atacante França, ex-São Paulo. “Precisamos cair na realidade. Não vou fazer loucuras e sair contratando sem poder pagar”, disse o novo vice-presidente de futebol do Flamengo, Kléber Leite. E, diante da nova disposição da diretoria, o clube apresentou, na última sexta-feira, um “pacote” com quatro reforços: os meias Rodrigo e Marabá, ambos do Paysandu, o zagueiro Ronaldo Angelim, do Fortaleza, e o mais conhecido de todos, o lateral-esquerdo Juan, ex-Fluminense. Romário O Fluminense é o que pode ser considerado uma exceção. Apoiado por seu patrocinador, uma empresa de planos de saúde, tem conseguido contratar bons reforços, apesar de ainda faltar a vinda de um jogador de expressão para 2006. Como trunfo para a temporada, conseguiu manter o meia Petkovic e trouxe o lateral-direito Rogério, ex-Palmeiras e Corinthians, e o goleiro Diego, ex-Atlético-PR. Agora o patrocinador do Fluminense quer Romário de volta as Laranjeiras. Mas o Tricolor afirma que seu retorno não é uma imposição do patrocinador. Já o Botafogo conseguiu, com a administração do presidente Bebeto de Freitas, reestruturar sua dívida e passou a ser comedido em suas contratações. Mesmo assim, o clube não esconde, por exemplo, o desejo de ter atletas como Deivid, ex-Santos, ou França, também cobiçado pelo Flamengo. Mas, até o momento, a diretoria do Botafogo tem surpreendido ao se reforçar com jogadores estrangeiros: o atacante uruguaio Salgueiro e o meia argentino Artigas. No Vasco, a política de “pés no chão” tem forçado o clube a apostar em jogadores “experientes” e em baixa no mercado. Na lista de reforços estão o meia Ramon, ex-Botafogo, e o atacante Marques, do Atlético-MG. Mas, até o momento, só conseguiu contratar duas jovens promessas para 2006: os meias Ernane, de 20 anos, ex-Bahia, e Andrade, de 22 anos, ex-Santa Cruz.

Mais matérias
desta edição