app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5729
Esportes

Boa e velha rivalidade de volta em 2006

FERNANDA MEDEIROS WELLINGTON SANTOS Repórteres Se as velhas alfinetadas nos adversários já existiam antes, imaginem em ano de Copa do Mundo e de Campeonato Alagoano prestigiadíssimo. Esse é o tom para os bons e velhos rivais torcedores do CSA, CRB, A

Por | Edição do dia 01/01/2006 - Matéria atualizada em 01/01/2006 às 00h00

FERNANDA MEDEIROS WELLINGTON SANTOS Repórteres Se as velhas alfinetadas nos adversários já existiam antes, imaginem em ano de Copa do Mundo e de Campeonato Alagoano prestigiadíssimo. Esse é o tom para os bons e velhos rivais torcedores do CSA, CRB, ASA e Cia. “Há tempo não vivemos um pré-campeonato tão discutido e valorizado nos bastidores”, a opinião é do torcedor do CSA Gustavo Bezerra, sobre o Campeonato Alagoano de 2006. Ele aponta cinco clubes que são favoritos ao título: “O Coruripe, com uma base forte e entrosada; o ASA, que sempre vem como quem não quer nada, mas no final briga pelo título; o Corinthians com um time jovem mesclado com atletas experientes; e, por fim, CSA e CRB. O Alvirrubro apostou em jogadores já conhecidos do torcedor alagoano. Já o maior papão de títulos de Alagoas, o CSA, é a principal atração deste ano. Após dois anos na 2ª Divisão, volta mais fortalecido, com uma diretoria vencedora”, declara. O estudante e também azulino Saulo Fiuza não está tão otimista quanto ao CSA. Segundo ele, o time é uma incógnita. “Poderemos ser campeões, mas se não formos, chegaremos ao vice-campeonato”, aposta. O regatiano Giancarllo Malafaia prevê que CRB, CSA, Coruripe, ASA e Corinthians vão brigar pelo título. “Esses são os favoritos”, afirma acrescentando que o time do CRB é muito bom no papel. “Mas precisamos vê-lo jogando”, observa. Sobre o primeiro clássico entre CSA e CRB, no dia 5 de fevereiro, após quase três anos, Gian diz: “Vamos matar saudade”. Gustavo Bezerra também opina sobre a volta dos clássicos: “É difícil não imaginar esse dia. A saudade é grande e, com certeza, vamos ter uma festa linda no Rei Pelé”, declara. E arrisca um placar: “Vai ser 3 a 0 para o CSA”. Já Gian, prefere não arriscar e resume: “Nunca arrisco placar”. Em se tratando de Série B do Brasileiro, Gian acredita que o CRB permanecerá na competição. “Ele não subirá para a Série A, mas também não cairá para a Série C”, prevê. O azulino Saulo Fiuza é do tipo de torcedor que não torce para Alagoas no Brasileiro. “Para mim, só o CSA e pronto”, diz ao opinar sobre a participação do CRB na Série B: “Eu torço para ele cair”. Ele tem a opinião compartilhada com Gustavo: “Quem sabe em 2006 eles [CRB] me dão a alegria de ser rebaixados”, diz. Já sobre o ASA na Copa do Brasil, Gustavo declara: “Queria muito que o ASA se classificasse”. Sobre a Seleção Brasileira, os torcedores vêem o Brasil como favorito na Copa do Mundo. “Temos o melhor futebol do mundo e se não houver interferências extra-campo, seremos hexa”, afirma Gustavo. “Acredito que o Brasil passará para a próxima fase em primeiro lugar no grupo, apesar de eu considerar o Japão um adversário difícil”, afirma Gian. “O grupo do Brasil é difícil, mas acho que chegaremos à final da competição”, completa Saulo. ### Imprensa opina sobre futebol em 2006 O locutor César Pitta, da Rádio Gazeta AM, diz que o Campeonato Alagoano tem dois motivos que darão um gosto especial à competição. “O primeiro é a volta do CSA e o segundo é o ano de eleições, que dará uma movimentação mais intensa”, avalia. Mas ele faz questão de explicar que a motivação não é em relação ao fato de os clubes terem políticos à sua frente, “pois os clubes em Alagoas sempre tiveram políticos. Isso não é novidade”. Sobre a Copa do Brasil de 2006, especialmente com os times de Alagoas, César atenta para um fato histórico importante: “Será uma grande chance de o CRB vencer a sua primeira partida na Copa do Brasil”, lembra. “E, claro, é a primeira vez que o CRB joga a primeira fora de casa para decidir em Maceió”, completa. Para o comentarista esportivo Osvaldo Barbosa, da Rádio Difusora, existem cinco clubes com uma tendência natural ao favoritismo, pelo que apresentaram até agora ao torcedor e à imprensa. “O CRB preservou uma boa base de 2005 e reforçou o elenco. Larga, teoricamente, um pouco na frente dos outros”, avalia. “O CSA, na minha opinião, larga como segundo favorito, pela força da camisa e tradição, mas é uma incógnita. Os três primeiros jogos, que são clássicos, e o rendimento da equipe, serão fundamentais para a diretoria avaliar”, diz, ao acrescentar: “Mas possui uma diretoria forte e de pessoas vencedoras”. Quanto ao Corinthians, Osvaldo acha que pode surpreender positivamente: “É um time que contratou jogadores de boa referência como Lau, Lico, Flávio Santos, Caju e tem uma base da Alagipe, onde surpreendeu. Já o ASA está com um elenco que eu não conheço, mas é o campeão do Estado”, avalia. Quanto ao Coruripe, ele também acredita que pode fazer um bom papel, pois manteve a base, e pode chegar nas primeiras colocações. Sobre a participação de Alagoas na Copa do Brasil, o comentarista é bem objetivo: “Espero que o ASA faça com o Flamengo o que fez com o Palmeiras em 2002”, torce. Sobre o CRB, ele diz: “O CRB chegou à condição de time grande por estar entre os 40 melhores no país. Por isso jogará a primeira fora contra um adversário desconhecido e decidirá a vaga em casa”, analisa. O repórter esportivo Warner Oliveira, da Rádio Gazeta AM, destaca a volta do CSA ao Campeonato Alagoano. “Com isso, a competição ganha em público, motivação e rivalidade”, opina. Já quanto à questão política, ele diz: “Eu quero que os políticos sejam apaixonados pelo futebol e não que estejam dentro do futebol por uma questão momentânea, somente pela política”. Sobre a Copa do Brasil, Warner resume: “Não gosto dessa competição, pois é um caça-níqueis”. |FM e WS ### Copa será a maior atração futebolística A Copa do Mundo da Alemanha, sem sombra de dúvidas, será a maior atração futebolística neste ano de 2006. Membros da imprensa esportiva de Alagoas consideram o Brasil como um dos favoritos na competição, mas consideram prematuro afirmar que será o campeão. É o caso, por exemplo, do radialista Warner Oliveira. “Sempre fui pela máxima de que o futebol é o único esporte em que o favorito perde. Por isso, prefiro ter cautela quando vou opinar sobre a seleção brasileira na Copa do Mundo”. Segundo ele, tal cautela surge em função da dificuldade que a Seleção de Parreira teve nos amistosos e jogos disputados com adversários de times “combinados”. “Temos que observar que o grupo do Brasil, com a Croácia, o Japão e a Austrália, não é fácil, pois o futebol está muito nivelado. Para falar a verdade, eu prefiro quando o Brasil enfrenta grandes seleções do que equipes desconhecidas”, declara. Para Warner, o Brasil é tido como favorito pela qualidade dos jogadores que possui no papel. “Mas dentro de campo a situação é bem diferente. É o melhor time do mundo, mas é muito prematuro dizer que será hexacampeão”, alertou. Para o comentarista Osvaldo Barbosa, a Copa do Mundo será um grande atrativo neste ano, mas não irá interferir negativamente ou positivamente no Campeonato Alagoano. “Não acredito que o torcedor alagoano vá voltar o pensamento somente para a Copa do Mundo e esquecer que antes dela temos o Campeonato Alagoano”, lembra. Sobre o favoritismo das equipes na Alemanha, ele afirma que o Brasil é sim um dos grandes favoritos ao título. “Mas temos que ter cuidado com o Japão, o adversário mais perigoso do grupo do Brasil, tanto pela evolução que teve o futebol japonês, nos últimos anos, como pela presença do brasileiro Zico [ex-Flamengo-RJ], como treinador. Ele conhece e muito o futebol brasileiro”, destaca. Primeira Copa O locutor esportivo César Pitta tem um motivo especial para ser um dos mais otimistas esportistas de 2006, no futebol. O motivo? Ele vai para a Alemanha com a equipe da Rádio Gazeta AM. “Vou ter a oportunidade de fazer [transmitir] a minha primeira Copa do Mundo como radialista. É um sonho”, comenta o locutor, que já fez Copa América e transmitiu jogos das Eliminatórias. A equipe da Rádio Gazeta AM, que seguirá para a Alemanha, segundo Pitta, levará dois narradores, comentaristas e repórteres. Assim como os demais companheiros de microfone, ele considera o Brasil um dos favoritos à conquista do título de hexacampeão mundial. |FM e WS

Mais matérias
desta edição