app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5731
Esportes

Por Cafu, S�o Paulo pode perder Lugano

| DA EDITORIA DE ESPORTES O São Paulo pode conseguir um substituto de peso para Cicinho. O lateral-direito Cafu, 35, que está no Milan, disse ao jornal italiano Gazzetta dello Sport que gostaria de voltar ao Brasil e poderia ser envolvido em uma negociaç

Por | Edição do dia 06/01/2006 - Matéria atualizada em 06/01/2006 às 00h00

| DA EDITORIA DE ESPORTES O São Paulo pode conseguir um substituto de peso para Cicinho. O lateral-direito Cafu, 35, que está no Milan, disse ao jornal italiano Gazzetta dello Sport que gostaria de voltar ao Brasil e poderia ser envolvido em uma negociação que levaria o zagueiro uruguaio Lugano para o clube italiano. “Pode ser agora ou pode ser em julho”, disse Cafu, sobre sua saída do Milan. O jogador, cujo pai está doente, não se reapresentou no retorno do Milan - ganhou mais alguns dias para ficar no Brasil com a família. Desde a saída de Cicinho, o São Paulo corre atrás de um nome para a lateral direita. Anderson Lima e Maurinho já foram descartados. Élder Granja, do Internacional, indicado pelo técnico Muricy Ramalho, ainda é uma opção. Cafu, apesar de ser titular absoluto na seleção brasileira, vem perdendo prestígio no Milan, o que poderia facilitar sua volta. O jogador vem ficando no banco de reservas, e o time italiano já busca um substituto para ele. Mesmo que a negociação se concretize, o São Paulo só estaria disposto a liberar Lugano após a disputa da Taça Libertadores-2006. “Nenhum jogador do São Paulo é inegociável, mas a idéia é só liberar em definitivo no segundo semestre. Vamos fazer de tudo para segurar a ótima base que temos”, afirmou o presidente Marcelo Portugal Gouvêa. RODRIGO FABRI O meia Rodrigo Fabri, 29, foi apresentado ontem no CCT da Barra Funda como o primeiro reforço do São Paulo para 2006. O jogador, que disputou o último Campeonato Brasileiro pelo Atlético-MG e foi rebaixado à Série B, assinou um compromisso de dois anos com o clube do Morumbi. E apagar o vexame vivido no ano passado é um dos objetivos do ex-atleticano. “Um jogador que sai de um clube rebaixado tem uma cobrança muito maior. É natural que exista uma desconfiança por parte do torcedor. Se trata de um contraste muito grande”, afirmou Fabri. “Estou bem fisicamente. Tive um ótimo primeiro semestre no Atlético-MG, mas, no segundo, assim como todo o time, não fui bem. Sei que essa oportunidade tem de ser encarada como uma chance de ouro”, acrescentou. O meia também quer retomar o bom futebol que mostrou há três anos no Grêmio. Fato que lhe valeu uma indicação do técnico Muricy Ramalho para defender o São Paulo. O novo treinador são-paulino conheceu Fabri em Porto Alegre, em sua primeira passagem pelo Internacional. “Ele viu o meu trabalho quando tinha acabado de assumir o Inter. Eu estava no Grêmio, éramos rivais. Acho que ele gosta de um meia com as minhas características. Por isso, pediu minha contratação”, disse o jogador. O melhor momento de Fabri no Grêmio ocorreu no Brasileiro de 2002, quando, ao lado do então são-paulino Luís Fabiano, o meia foi o artilheiro do campeonato, com 22 gols. Paulista de Santo André, Rodrigo foi revelado pela Portuguesa.

Mais matérias
desta edição