app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5729
Esportes

Feij� continua homem-forte do CRB

| WELLINGTON SANTOS Repórter Para quem pensava que seria desta vez que o vice-presidente de Futebol do CRB, Gustavo Feijó, largaria o cargo em função das últimas pressões e críticas que vinha recebendo por causa da saída de alguns jogadores do elenco se

Por | Edição do dia 10/01/2006 - Matéria atualizada em 10/01/2006 às 00h00

| WELLINGTON SANTOS Repórter Para quem pensava que seria desta vez que o vice-presidente de Futebol do CRB, Gustavo Feijó, largaria o cargo em função das últimas pressões e críticas que vinha recebendo por causa da saída de alguns jogadores do elenco se enganou. De posse da cópia da multa rescisória no valor de R$ 1 milhão do zagueiro Gustavo, em entrevista coletiva no campo da Pajuçara, ontem, Gustavo Feijó reafirmou que continua à frente dos destinos do futebol alvirrubro. A entrevista foi convocada às pressas, porque circulava informações de que existiam possibilidades de o vice-presidente de Futebol regatiano ser “convidado” a sair ou mesmo de uma possível renúncia. A ausência sentida foi a do presidente-executivo do Galo, Celso Luiz, já que muitos regatianos esperavam um pronunciamento oficial. “Estou tranqüilo. Não sei por que tanta celeuma em função de dois e não três jogadores que deixaram o CRB. O primeiro (Juninho Cearense) porque não foi correto comigo nem com o CRB. O zagueiro Gustavo idem e o terceiro (Emerson) em função de uma decisão conjunta do próprio treinador, minha e de alguns atletas, já que o jogador não se encaixaria nos planos”, explicou. O dirigente regatiano disse que no caso de Juninho a forma encontrada foi negociá-lo com o Santo André, “mas ele errou”. “Já o Gustavo terá de vir a Maceió para resolver a situação dele porque ele tem contrato com o CRB”, completou. Questionado por que o presidente Celso Luiz não se pronunciou sobre o que tem sido chamado de desmanche alvirrubro, ele respondeu: “Ele (Celso) não podia responder sem ter os detalhes de como ocorreram as negociações”. Protesto Sobre o prometido protesto para o próximo domingo, na estréia do time no Alagoano, que uma facção do clube ligada ao filho do ex-presidente regatiano Marcelo Medeiros pretende fazer, com faixas para pedir sua “cabeça” na direção do clube, Gustavo respondeu: “Podem vir, o estádio é público. Agora se vierem com bagunça e baderna aí já será um problema de polícia”. Ontem pela manhã, muros da sede do CRB haviam sido pichados com críticas a Feijó, mas foram retiradas pelo clube.

Mais matérias
desta edição