app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5730
Esportes

S�rie B pode oferecer 4 vagas de acesso

| ESTADO DE SÃO PAULO São Paulo - Depois de definir a fórmula, em turno e returno, do Campeonato Brasileiro da Série B de 2006, José Neves, presidente da Futebol Brasil Associados (FBA), aguarda uma posição oficial do presidente da Confederação Brasileir

Por | Edição do dia 26/01/2006 - Matéria atualizada em 26/01/2006 às 00h00

| ESTADO DE SÃO PAULO São Paulo - Depois de definir a fórmula, em turno e returno, do Campeonato Brasileiro da Série B de 2006, José Neves, presidente da Futebol Brasil Associados (FBA), aguarda uma posição oficial do presidente da Confederação Brasileira da Futebol (CBF), Ricardo Teixeira, sobre o número de clubes que vão ascender na próxima temporada. A dúvida é se subirão dois ou quatro para a Série A. “Existe uma queda de braço entre os clubes da Série B, por unanimidade favorável para que subam quatro times, enquanto os clubes da Série A só admitem o rebaixamento de dois times. A decisão será, exclusivamente, do Ricardo Teixeira”, confirmou José Neves, que na terça-feira esteve reunido na CBF com o diretor técnico Virgílio Elísio e o supervisor geral Marco Antônio Teixeira. A idéia da direção da CBF, em princípio, é manter tanto a Série A como a Série B com 20 participantes cada. A posição oficial é esperada para dia 30 de janeiro, uma vez que o Congresso Técnico está marcado para o dia 2 de fevereiro. Segundo José Neves, o acordo de transmissão dos jogos, praticamente firmado com a Rede Globo, assegura a competição com dois turnos - portanto, com 38 datas - viabilizando transporte aéreo e terrestre das equipes, hospedagens e alimentação, assim como a distribuição de um número de cotas a definir para cada participante. O dirigente garante que os clubes terão ainda alguns benefícios da CBF, mas só revelou por enquanto que as taxas de arbitragens serão franquiadas. O departamento técnico também já teria aceito a sugestão de que haja uma maior racionalidade na elaboração da tabela. Citou como exemplo, o caso de um time da região Sul visitar Recife (PE) e enfrentar, numa só semana, Náutico e Sport, ou no caso de Belém (PA), com o Paysandu e o Remo. O mesmo aconteceria quando esses clubes viessem para o Sul, realizando, por exemplo, dois ou três jogos seguidos dentro do Estado de São Paulo, que continua com o maior número de participantes. São seis ao todo: Portuguesa, Guarani, Paulista, Santo André, Ituano e Marília. “Não tenho dúvida de que essa forma vai baratear os custos e diminuir as despesas”, concluiu Neves.

Mais matérias
desta edição