app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5730
Esportes

Meias de Flamengo e Flu esperam renascer amanh�

| PELÉ.NET Rio de Janeiro - Os jogadores que disputam um Fla-Flu são unânimes ao comentar a importância de se participar do clássico. Mas o jogo de amanhã será ainda mais especial para dois atletas que pretendem utilizar o duelo para se reafirmarem no fu

Por | Edição do dia 28/01/2006 - Matéria atualizada em 28/01/2006 às 00h00

| PELÉ.NET Rio de Janeiro - Os jogadores que disputam um Fla-Flu são unânimes ao comentar a importância de se participar do clássico. Mas o jogo de amanhã será ainda mais especial para dois atletas que pretendem utilizar o duelo para se reafirmarem no futebol. O rubro-negro Renato e o tricolor Pedrinho, possivelmente, estarão frente a frente, cada um por sua equipe, mas ambos com a camisa 11. No caso do meia do Fla, o jogador quer mostrar à nova comissão técnica que tem condições de repetir as boas atuações de 2005 e, dessa forma, manter-se como uma das principais peças do time. Ao longo da temporada passada, Renato foi titular em todas as partidas que teve condição de jogo e nunca foi substituído. A torcida o considera o mais regular e, por isso, o clube se esforçou para renovar o seu contrato. Amanhã, ele fará a sua reestréia com a camisa rubro-negra. “Estou voltando ao Flamengo do zero. Cada ano é um ano diferente, uma nova etapa. Não adianta chegar aqui agora e não repetir as atuações do ano passado. Não é porque fui o capitão do time e o artilheiro que eu vou relaxar”, disse Renato. No lado tricolor, Pedrinho parece estar perto de ser escalado como titular no Fla-Flu e, enfim, estrear pelo novo clube. O jogador participou de todo o coletivo de quinta-feira entre os titulares, declarou que está pronto e que se sente em boas condições físicas. O técnico Ivo Wortmann não bateu o martelo, mas complementou dizendo que já está até analisando o jogador que ele substituirá: ou Evando, ou Lenny. Mal aproveitado No ano passado, Pedrinho acabou sendo pouco aproveitado no Palmeiras por conta de duas fraturas - uma na face e outra no pé. No Flu, ele quer deixar o passado de lesões para trás e iniciar uma nova fase. “Muita coisa aconteceu na minha carreira. Em São Paulo, tive algumas contusões, mas estou tranqüilo quanto a isso”, declarou o jogador, que quando atuava pelo Vasco, era perseguido pela torcida do Flamengo. “Pela rivalidade, era normal que isso acontecesse no Vasco. Hoje estou no Fluminense e há a expectativa de jogar contra o Flamengo, pelo grande clube que é”, disse. Nem Pedrinho nem o treinador garantem que o meia será titular. Mas caso isso aconteça, o jogador já sabe com que camisa entrará em campo: “É uma camisa que tem muita tradição. A 11 que o Romário defendia aqui no Fluminense era diferente por vários aspectos, mas espero ir bem com ela”. Renato, este mais do que garantido no Fla-Flu, tem uma preferência explícita pela mesma numeração. No endereço do seu site da Internet, o número aparece ao lado do seu nome, revelando que, para ele, o assunto não é indiferente. A forte personalidade de Renato não é exposta apenas nesse aspecto. O técnico Valdir Espinosa elogiou o poder de persuasão do jogador e o confirmou como capitão na partida contra o Fluminense.

Mais matérias
desta edição