app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5730
Esportes

Botafogo x Am�rica: festa no Maracan�

| DA AGÊNCIA PLACAR Rio de Janeiro - Botafogo e América vão decidir hoje a Taça Guanabara, às 15h (de Alagoas), no Maracanã. Quem vencer estará automaticamente qualificado à final do Campeonato Estadual. Se o jogo terminar empatado, haverá uma disputa po

Por | Edição do dia 12/02/2006 - Matéria atualizada em 12/02/2006 às 00h00

| DA AGÊNCIA PLACAR Rio de Janeiro - Botafogo e América vão decidir hoje a Taça Guanabara, às 15h (de Alagoas), no Maracanã. Quem vencer estará automaticamente qualificado à final do Campeonato Estadual. Se o jogo terminar empatado, haverá uma disputa por pênaltis. Todos os 44 mil ingressos para a final foram vendidos de forma antecipada na sexta-feira. Vencedor do torneio em três oportunidades, 1967, 1968 e 1997, o Botafogo não é campeão desde março de 1998, quando ganhou o Torneio Rio-São Paulo. O melhor da Taça GB em 1974, o América não dá uma volta olímpica desde a Taça Rio, segundo turno do Carioca, em 1982. O Botafogo só estará desfalcado de um titular na final. O zagueiro Rafael Marques, suspenso, dá o lugar a Asprilla. O lateral-direito Ruy treinou pouco durante a semana. Se recuperando de uma lesão no tornozelo esquerdo, ele só participou de 20 minutos no coletivo desta sexta-feira, volta a treinar no sábado e está confirmado. Com a ausência de Rafael Marques, o volante Thiago Xavier é o único jogador do Alvinegro a ter sido criado nas divisões de base do clube. “Os jogadores pratas-da-casa têm de dar o máximo e mostrar que podem ser importantes. Botafogo e América melhoraram a estrutura e isso vem dando certo”, disse Thiago, que atua pelo time profissional desde 2002. No América, a maior preocupação do treinador Jorginho segue sendo o atacante Chrys, que sente uma lesão muscular na perna esquerda. Caso não atue, pode ser substituído pelo argentino Carlos Gonzalez. Chrys sequer participou do treino da sexta, assim como os meias Robert e Dias. Os três foram poupados e ficaram na concentração. “Estamos preparados para enfrentar um grande clube, com um ótimo técnico e bons jogadores. Mas sabemos do nosso potencial e confiamos no título”, comentou o técnico. Botafogo - Max, Ruy, Asprilla, Scheidt e Bill; Thiago Xavier, Diguinho, Lúcio Flávio e Zé Roberto; Marcelinho e Dodô. América - Éverton, Guerra, Santiago, André e Maciel; Válber, Argeu, Bruno Lazaroni e Julinho; Robert e Chrys. ### Com show de Caju, Bota é campeão GLOBOESPORTE.COM Rio de Janeiro - Quando Botafogo e América pisarem no gramado do Maracanã, hoje, para decidirem o título da Taça Guanabara, mais um capítulo da história do futebol carioca estará sendo escrito. Muitos torcedores que estiverem no estádio poderão lembrar que, há 39 anos, as mesmas equipes disputaram o mesmo título. No dia 20 de agosto de 1967, o Botafogo venceu o América por 3 a 2 e sagrou-se campeão da Taça Guanabara daquele ano. O presidente do clube, Bebeto de Freitas, estava no estádio e lembra detalhes daquela partida. “Naquela época eu era torcedor fanático e fui ver o Botafogo. Foi um jogo inesquecível. A gente contava com a estréia de Paulo César Caju, mas logo no primeiro tempo o Jairzinho foi expulso. Mesmo com um jogador a menos o Botafogo se superou, Paulo César marcou três gols e vencemos o América por 3 a 2”, lembrou o presidente, estampando um largo sorriso no rosto. Os gols do América foram marcados por Edu e Eduardo. Um dos protagonistas da decisão deste domingo também foi personagem em 1967: o técnico Carlos Roberto era cabeça-de-área do Botafogo campeão. No América, o grande destaque era o meia Edu, irmão de Zico. “A decisão de 1967 foi um jogo eletrizante. Apesar do América não possuir uma torcida muito grande, o Maracanã estava lotado. A força de nossa equipe era o ataque, eu tinha a companhia de dois jogadores extraordinários: meu falecido irmão Antunes e o ponta-esquerda Eduardo”, relembra Edu. América Em 1982, Edu teve a alegria de ser campeão pelo América como treinador. O time conquistou a Taça Rio, segundo turno do Estadual. Porém, no triangular decisivo do Campeonato Carioca, o time rubro não obteve sucesso contra Flamengo e Vasco. “Ser campeão como treinador do América foi uma emoção inesquecível para mim. Batemos o Fluminense por 4 x 2 no último jogo e ficamos com o título. A equipe tinha grandes valores, entre eles o Jorginho, atual treinador do América”, disse Edu.

Mais matérias
desta edição